ÓLEO DE LARANJA REDUZ ANSIEDADE DURANTE TRABALHO DE PARTO

12523000_963733897030889_5466634975857492368_n

O trabalho de parto é um momento extremamente estressante para a mulher e meios naturais que possam reduzir a ansiedade são muito positivos neste momento. E um estudo recentemente publicado numa revista de enfermagem do Irã, mostrou que o óleo essencial de laranja pode ser muito útil neste momento.

Durante a pesquisa clínica que envolveu 100 mulheres, dois grupos foram separados, aquele que utilizou via difusor ambiental o óleo de laranja e o grupo controle que utilizou apenas água destilada. Apesar de ambos os grupos terem uma redução psicológica da ansiedade após a intervenção, a redução da ansiedade foi maior no grupo que utilizou o óleo de laranja.

O estudo concluiu considerando que o óleo de laranja é uma opção barata, segura e agradável ao uso por mulheres durante o trabalho de parto, através de difusores de ambiente, para o alívio da ensiedade.

Fábián László
Cientista aromatólogo

Referência: Rashidi-Fakari F, Tabatabaeichehr M, Mortazavi H. The effect of aromatherapy by essential oil of orange on anxiety during labor: A randomized clinical trial. Iran J Nurs Midwifery Res. 2015 Nov-Dec;20(6):661-4.

Leia mais sobre óleos essenciais durante o parto e gravidez, artigo de André Ferraz:
http://laszlo.ind.br/campanhas/OLEOS_ESSENCIAIS_NA_GESTAÇÃO_Andre_Ferraz.pdf

Óleo essencial de laranja você encontra na

 

so_pria

Sua Saúde Natural

!www.pria.com.br

Imagem (parto humanizado): http://womansplaining.com.br/parto-humanizado-e-o-servico-de-doulas-desmistificando/

ÓLEO DE ALCARÁVIA AUMENTA HORMÔNIO DA TIREÓIDE

12509327_956222641115348_2041983461893607159_n.jpg

A alcarávia (Carum carvi), chamada em inglês de caraway, possui um óleo obtido de suas sementes e rico no componente carvona, uma cetona de ação calmante e sedativa. É conhecido por ter propriedades digestivas e estrogênicas (muito parecidas com as do funcho). É usada no alívio de cólicas intestinais e menstruais por ser antiespasmódica.

Uma pesquisa de 2010 mostrou que o uso prolongado de extrato da alcarávia em altas doses, pode ocasionar hipertiroidismo com aumento do T3, T4 e diminuição do TSH. Os cientistas ainda não descobriram exatamente o mecanismo que causa este efeito, mas suspeita-se que o componente carvona, presente em alta concentração no óleo essencial, seja o responsável por este efeito. Desta forma, o óleo essencial de alcarávia mostra-se como tendo potencial terapêutico auxiliar no hipotireoidismo, mas é definitivamente contra-indicado em casos de hipertireoidismo, pois pode agravar o quadro. A dosagem correta para tratamento de distúrbios da tireóide não é conhecida ainda, mas é possível que algum efeito positivo se tenha com inalações e outras formas de uso. Futuras pesquisas são necessárias neste sentido.

Vale ressaltar que o óleo de alcarávia não substitui o hormônio da tireóide em quem faz reposição hormonal. Se você tem algum problema de saúde, oriente-se com seu médico.

Autor:Fabian LaszloCientista aromatólogo

Referência:Dehghani, F. et al. Effect of hydroalcoholic extract of caraway on thyroid gland structure and hormones in female rat. Iranian Journal of Veterinary Research, Shiraz University, Vol. 11, No. 4, Ser. No. 33, 2010

Outro artigo relevante: TIREOIDE E ÓLEOS ESSENCIAIShttps://www.facebook.com/laszlobrasil/photos/a.209468372457449.46847.208799552524331/604235052980777/?type=1&theater

Este óleo essencial você encontra na

so_pria

Sua Saúde Natural!

www.pria.com.br

 

ÓLEO DE CANELA AUMENTA EFICÁCIA DO ANTIBIÓTICO CLINDAMICINA SEGUNDO ESTUDO

12507247_957388500998762_2368978848227451468_n.jpg

A clostridium difficile é uma bactéria que está naturalmente presente na flora intestinal de cerca de 3% dos adultos e 66% das crianças.

Esta bactéria não causa problemas a pessoas saudáveis, contudo, alguns antibióticos utilizados para tratar outros problemas de saúde podem interferir com o equilíbrio das “bactérias boas” da flora intestinal. Quando isto acontece, aclostridium difficile pode multiplicar-se e causar sintomas como diarreias e febre.

Como estas infecções são geralmente causadas por antibióticos, a maioria dos casos ocorre num ambiente de cuidados de saúde, no hospital, por exemplo.

Os sintomas da infecção incluem diarreia ligeira a severa, fezes com sangue, febre e cãibras no estômago. Estes sintomas são normalmente causados por colites (inflamação do revestimento do intestino grosso). Em casos raros, esta bactéria pode causar uma infecção no revestimento das paredes do abdómen (peritonite), septicemia e perfuração do cólon.

Por conseguinte, tem havido um interesse crescente na utilização de inibidores de resistência a antibióticos para uso em terapia de combinação.

Antibióticos como a clindamicina, perturbam a flora intestinal e falham na inibição do crescimento de outros microrganismos, podendo permitir a proliferação do Clostridium difficile e a elaboração de exotoxina.

O óleo essencial das cascas da canela do Ceilão (Cinnamomum zeylanicum = verum) reforçou a atividade bactericida da clindamicina e diminuiu a concentração inibitória mínima da clindamicina necessária para uma estirpe toxigénica do C. difficile.

Isso mostra uma sinergia do óleo essencial de canela com o antibiótico clindamicina com o aumento de sua eficácia antibiótica. Mais estudos são necessários para o aproveitamento desta descoberta no tratamento da saúde humana.

Autor:Fabian LaszloCientista aromatólogo

Referência: Shahverdi AR et al. Trans-cinnamaldehyde from Cinnamomum zeylanicum bark essential oil reduces the clindamycin resistance of Clostridium difficile in vitro. J Food Sci. 2007 Jan;72(1):S055-8.

Este óleo essencial você encontra aqui

Obs.: A Pria não comercializa medicamentos. As informações aqui presentes são meramente ilustrativas e advindas de fontes referenciadas. Em caso de doença, oriente-se com seu médico.

so_pria

Sua Saúde Natural!

www.pria.com.br

 

SINERGIAS DOS CHAKRAS LASZLO

O conhecimento a cerca dos chakras vem da Índia de um período datado de mais de 10.000 anos atrás. Naquela época era utilizado este conhecimento com a intenção de tratar doenças e através de exercícios de yoga, alcançar a evolução espiritual. Chakras são centros de energia eletromagnética presentes em nosso corpo. A palavra chakra vêm do sânscrito, antiga língua da Índia, e significa roda. Os chakras são formados a partir do contínuo fluxo de energia elétrica que flui pelos plexos nervosos e que estimula as fibras de colágeno (fáscia) nestas áreas a gerar campos eletromagnéticos. As fibras de colágeno são compostas por cristais líquidos de proteínas com propriedades piezelétricas que respondem à eletricidade gerando eletromagnetismo. São de extrema importância para nossa saúde, pois estes campos eletromagnéticos influenciam positivamente no funcionamento de órgãos, glândulas e tecidos em sua proximidade, mantendo a nossa saúde. Quando saudáveis, estes campos pulsam frequências harmônicas. Quando em desequilíbrio, tendem a ocasionar mau funcionamento dos órgãos em sua proximidade e ocasionam doenças.Os chakras podem ser harmonizados e desbloqueados pelo uso de terapias energéticas como o reiki, acupuntura, radiestesia, cristais, massagem, musicaterapia, cromaterapia e aromaterapia.A Laszlo Aromaterapia traz neste kit uma combinação perfeita de óleos essenciais especialmente selecionados para estimular estas áreas do corpo a pulsarem sua energia de forma natural.

Estas sinergias você encontra aqui: Sinergias Chakras Laszlo

VEJA MAIORES INFORMAÇÕES: http://laszlo.ind.br/campanhas/chakras-folder-LASZLO.pdf

Você pode empregar os óleos de alguma das seguintes formas:

1. Pingue três gotas do óleo do chakra que você pretende equilibrar na palma de sua mão. Esfregue uma contra a outra. Depois coloque sua mão no corpo da pessoa na área onde se localiza o chakra a ser harmonizado. Energize com alguma técnica de imposição de mãos como reiki por cerca de 5 minutos. Esta técnica é para utilizar se você for precisar harmonizar somente um chakra.

2. Pingue sobre a região do chakra no corpo da pessoa uma ou duas gotas do óleo e com a ponta dos dedos massageie fazendo movimentos em sentido horário por cerca de 30 a 60 segundos. Limpe a ponta dos seus dedos com álcool ou um pano antes de passar para o chakra seguinte para não misturar os óleos e energias. Esta técnica pode ser empregada para harmonizar um ou todos os chakras em sequência. O tempo total se for fazer nos sete centros de energia será de no máximo 10 minutos.

3. Pingue algumas gotas sobre o local durante a massagem e massageie com a palma das mãos a região por algum tempo. Esta técnica também pode ser empregada para harmonizar um ou mais chakras desde que limpa a mão com um pano ou álcool antes de continuar a sequência para não misturar a energia e aroma de cada óleo. O tempo total pode variar de 10 a 35 minutos.

Você poderá utilizar este kit também para o auto-tratamento, fazendo em seu corpo como descrito anteriormente o uso dos óleos dos chakras.

No caso de tratamento de outras pessoas, esta prática poderá ser feita ao fim da terapia (massoterapia, reiki, acupuntura, etc). Podem ser utilizados os óleos na frente do corpo na área de localização dos chakras, ou atrás na mesma altura em que cada chakra se encontra.Não use nas áreas óleos de chakras diferentes. Isso poderá não trazer os efeitos esperados, contudo necessariamente não causará nenhum dano ao seu campo energético.Associe com outros aromas através de difusor no ambiente e música relaxante. Sob um bom estado de relaxamento os efeitos poderão ser melhores.Não há limite de tempo de uso, podendo ser empregado ao final de tratamentos energéticos sempre que presente algum desequilíbrio. A auto-harmonização dos chakras poderá ser feita diariamente ao longo de um mês uma vez ao dia para um bom resultado, ou de vez em quando se necessário.Não misture todos os óleos ou vários para aumentar efeitos. Isso não acontece e poderá anular a eficácia deles.Se ocorrer alguma reação alérgica lave a área com água ou passe um pano com água retirando o óleo. Estes óleos estão diluídos em óleo de girassol extra-virgem e babaçu com o objetivo de reduzir reações alérgicas. Não empregue em áreas sensíveis como as axilas e área genital, pois poderá ocasionar forte ardência. Se for fazer uso em crianças com menos de 3 anos, para cada gota dos óleos dos chakras, ponha mais uma de óleo de girassol ou algum outro óleo carreador para evitar riscos de ardência pois a pele de crianças pequenas é muito sensível.

Obs.: Este produto não tem nenhum objetivo de tratar ou curar doenças, portanto ele não substitui o aconselhamento e orientações do profissional médico ou terapêuta. Também não deverá ser empregado internamente. Em caso de ingestão tomar muita água.

VEJA MAIORES INFORMAÇÕES: http://laszlo.ind.br/campanhas/chakras-folder-LASZLO.pdf

Obs.: A Pria não comercializa medicamentos. As informações aqui presentes são meramente ilustrativas e advindas de fontes referenciadas. Em caso de doença, oriente-se com seu médico.

so_pria

Sua Saúde Natural!

www.pria.com.br

 

INVESTIGAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUTOS NATURAIS COMO AGENTES TERAPÊUTICOS NOS TRANSTORNOS COMPORTAMENTAIS

Limoneno é um monoterpeno presente em muitos óleos essenciais, principalmente em plantas do gênero Citrus,a exemplo da laranja. Recentes estudos demonstraram a atividade ansiolítica do óleo essencial de Citrusaurantium. (+)-Limoneno é o componente majoritário deste óleo, contudo, não há estudos relatando suacontribuição na atividade ansiolítica. No presente estudo, foi demonstrado que (+)-limoneno e seu enantiômero,(-)-limoneno, apresentam efeito ansiolítico nos modelos experimentais de Campo Aberto e Labirinto em CruzElevado (LCE). No LCE a atividade ansiolítica foi mostrada pelas vias intraperitoneal e inalatória, confirmando acontribuição de (-)-limoneno na atividade ansiolítica de Citrus aurantium. Na investigação de mecanismo deação, demonstrou-se que este monoterpeno não exerce seu efeito farmacológico via receptores GABAA.Link do artigo:http://www.fapitec.se.gov.br/sites/default/files/documentos/joao%20daltro/resumo_expandido_damiao.pdf

**********************************************************

Esta pesquisa foi elaborada com a participação do cientista brasileiro Damião Pergentino de Sousa que estará palestrando no II Congresso Internacional de Aromatologia com a palestra: Aspectos químicos e farmacológicos da biotividade dos óleos essenciais.

Texto por Fabian Laszlo

SAIBA MAIS: http://www.congressoaromatologia.com.br/#!Dr-Damião-Pergentino/c37g/ignp6zau233

II CONGRESSO INTERNACIONAL DE AROMATOLOGIA – 18,19 e 20 de março, 2016 (presencial e online)www.congressoaromatologia.com.br

Obs.: A Laszlo não comercializa medicamentos. As informações aqui presentes são meramente ilustrativas e advindas de fontes referenciadas. Em caso de doença, oriente-se com seu médico.

so_pria

Sua Saúde Natural!www.pria.com.br

 

ANIMAIS PENSAM E SENTEM COMO HUMANOS

ANIMAIS PENSAM E SENTEM COMO HUMANOS SEGUNDO PESQUISA DE NEUROCIENTISTA, QUE APRESENTOU UM PROJETO EM PARCERIA COM O FÍSICO STEPHEN HAWKING, DE 70 ANOS, NUMA NUMA CONFERÊNCIA NOS EUA.

“Não é mais possível dizer que não sabíamos”, diz Philip Low
Estruturas do cérebro responsáveis pela produção da consciência são análogas em humanos e outros animais, dizem neurocientistas

FONTE: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/nao-e-mais-possivel-dizer-que-nao-sabiamos-diz-philip-low

São Paulo – O neurocientista canadense Philip Low ganhou destaque no noticiário científico depois de apresentar um projeto em parceria com o físico Stephen Hawking, de 70 anos. Low quer ajudar Hawking, que está completamente paralisado há 40 anos por causa de uma doença degenerativa, a se comunicar com a mente.

Os resultados da pesquisa foram revelados no último sábado (7) em uma conferência em Cambridge. Contudo, o principal objetivo do encontro era outro. Nele, neurocientistas de todo o mundo assinaram um manifesto afirmando que todos os mamíferos, aves e outras criaturas, incluindo polvos, têm consciência. Stephen Hawking estava presente no jantar de assinatura do manifesto como convidado de honra.

Low é pesquisador da Universidade Stanford e do MIT (Massachusetts Institute of Technology), ambos nos Estados Unidos. Ele e mais 25 pesquisadores entendem que as estruturas cerebrais que produzem a consciência em humanos também existem nos animais. “As áreas do cérebro que nos distinguem de outros animais não são as que produzem a consciência”, diz Low, que concedeu a seguinte entrevista ao site de VEJA:

Veja.com – Estudos sobre o comportamento animal já afirmam que vários animais possuem certo grau de consciência. O que a neurociência diz a respeito?

Philip Low – Descobrimos que as estruturas que nos distinguem de outros animais, como o córtex cerebral, não são responsáveis pela manifestação da consciência. Resumidamente, se o restante do cérebro é responsável pela consciência e essas estruturas são semelhantes entre seres humanos e outros animais, como mamíferos e pássaros, concluímos que esses animais também possuem consciência.

Veja.com – Quais animais têm consciência?

P. L. -Sabemos que todos os mamíferos, todos os pássaros e muitas outras criaturas, como o polvo, possuem as estruturas nervosas que produzem a consciência. Isso quer dizer que esses animais sofrem. É uma verdade inconveniente: sempre foi fácil afirmar que animais não têm consciência. Agora, temos um grupo de neurocientistas respeitados que estudam o fenômeno da consciência, o comportamento dos animais, a rede neural, a anatomia e a genética do cérebro. Não é mais possível dizer que não sabíamos.

Veja.com – É possível medir a similaridade entre a consciência de mamíferos e pássaros e a dos seres humanos?

P. L. – Isso foi deixado em aberto pelo manifesto. Não temos uma métrica, dada a natureza da nossa abordagem. Sabemos que há tipos diferentes de consciência. Podemos dizer, contudo, que a habilidade de sentir dor e prazer em mamíferos e seres humanos é muito semelhante.

Veja.com – Que tipo de comportamento animal dá suporte à ideia de que eles têm consciência?

P. L. – Quando um cachorro está com medo, sentindo dor, ou feliz em ver seu dono, são ativadas em seu cérebro estruturas semelhantes às que são ativadas em humanos quando demonstramos medo, dor e prazer. Um comportamento muito importante é o autorreconhecimento no espelho. Dentre os animais que conseguem fazer isso, além dos seres humanos, estão os golfinhos, chimpanzés, bonobos, cães e uma espécie de pássaro chamada pica-pica.

Veja.com – Quais benefícios poderiam surgir a partir do entendimento da consciência em animais?

P. L. – Há um pouco de ironia nisso. Gastamos muito dinheiro tentando encontrar vida inteligente fora do planeta enquanto estamos cercados de inteligência consciente aqui no planeta. Se considerarmos que um polvo — que tem 500 milhões de neurônios (os humanos tem 100 bilhões) — consegue produzir consciência, estamos muito mais próximos de produzir uma consciência sintética do que pensávamos. É muito mais fácil produzir um modelo com 500 milhões de neurônios do que 100 bilhões. Ou seja, fazer esses modelos sintéticos poderá ser mais fácil agora.

Veja.com – Qual é a ambição do manifesto?

P. L. – Os neurocientistas se tornaram militantes do movimento sobre o direito dos animais? É uma questão delicada. Nosso papel como cientistas não é dizer o que a sociedade deve fazer, mas tornar público o que enxergamos. A sociedade agora terá uma discussão sobre o que está acontecendo e poderá decidir formular novas leis, realizar mais pesquisas para entender a consciência dos animais ou protegê-los de alguma forma. Nosso papel é reportar os dados.

Veja.com – As conclusões do manifesto tiveram algum impacto sobre o seu comportamento?

P. L. – Acho que vou virar vegetariano. É impossível não se sensibilizar com essa nova percepção sobre os animais, em especial sobre sua experiência do sofrimento. Será difícil, adoro queijo.

Veja.com – O que pode mudar com o impacto dessa descoberta?

P. L. – Os dados são perturbadores, mas muito importantes. No longo prazo, penso que a sociedade dependerá menos dos animais. Será melhor para todos. Deixe-me dar um exemplo. O mundo gasta 20 bilhões de dólares por ano matando 100 milhões de vertebrados em pesquisas médicas. A probabilidade de um remédio advindo desses estudos ser testado em humanos (apenas teste, pode ser que nem funcione) é de 6%. É uma péssima contabilidade. Um primeiro passo é desenvolver abordagens não invasivas. Não acho ser necessário tirar vidas para estudar a vida. Penso que precisamos apelar para nossa própria engenhosidade e desenvolver melhores tecnologias para respeitar a vida dos animais. Temos que colocar a tecnologia em uma posição em que ela serve nossos ideais, em vez de competir com eles.

 

Sua Saúde Natural!
http://www.pria.com.br

ACNE EM ANIMAIS (CÃES E GATOS)

 

 

 

 

Por Martha Follain

“Os animais são meus amigos… e eu não como meus amigos.” – George Bernard Shaw (1856-1950), dramaturgo, romancista, contista, ensaísta e jornalista irlandês – Nobel de Literatura em 1925

Acne ou foliculite é uma irritação dos folículos por onde nascem os pelos. Pode aparecer no queixo, focinho e lábio inferior, na forma de protuberâncias (pontos pretos ou comedões) que se formam devido à obstrução das glândulas sebáceas. Esses pontos pretos são resultantes de uma super atividade das mesmas, causando dor e incômodo, levando o animal a se coçar frequentemente e esfregar o focinho no chão, móveis e paredes, tentando aliviar o desconforto. É uma patologia dermatológica que pode afetar gatos e cães de pelagem curta de ambos os sexos. Pode ocorrer em animais mais novos, durante o primeiro ano de vida, devido a alterações hormonais naturais.

A doença pode manifestar-se em vários graus. Os bichos podem apresentar uma acne suave, sem maiores complicações. Mas, se não for tratada pode evoluir para uma infecção, devido à contaminação por bactérias: são os casos severos, com irritação e inflamação da pele – a ponta do queixo pode inchar – havendo necessidade de tratamento tópico e/ou uso de antibióticos. A acne pode causar lesões muito parecidas com outras doenças de pele como sarnas, dermatoses causadas por fungos em gatos, dermatites em cães e deve ser propriamente diagnosticada e tratada pelo médico veterinário.
Ainda não se conhece nenhum componente genético que aponte para uma predisposição do animal à acne.

A acne também pode ser resultado de uma reação alérgica ao plástico (alergia de contato). É recomendado o uso de comedouros e bebedouros de cerâmica ou inox, ao invés de vasilhas de plástico. Deve-se ter cuidado com a higiene desses potes. É fundamental lavá-los com água e sabão pelo menos uma vez ao dia, além de escaldá-los quinzenalmente.

Nos gatos persas, há uma forma severa de acne – é a “dermatite facial idiopática dos persas” ou “cara suja”: a pele e os pelos apresentam uma cera escura, com distribuição simétrica na cara (queixo e ao redor dos olhos).
http://www.canaltortuga.com.br/amici/noticias/?acao=lm&tp=2&id=359

Além do tratamento tradicional, Florais de Bach, Fitoterapia, Aromaterapia, etc., podem ajudar.

Texto meramente informativo. O médico veterinário deve ser sempre consultado. Fonte: http://www.floraisecia.com.br

Sua Saúde Natural!
http://www.pria.com.br