ÓLEO DE LAVANDA REDUZ USO DE OPIÓIDES (MORFINA) APÓS CIRURGIA

A pesquisa observou que o óleo de lavanda pode ser usado para reduzir a necessidade de opióides no pós-operatório. O grupo que inalou o óleo de lavanda em máscara de oxigênio necessitou cerca de metade da dose de analgésicos (46%) do que o grupo que não inalou a lavanda. O estudo foi feito em pacientes de laparoscopia.

Kim JT1, Ren CJ, Fielding GA, Pitti A, Kasumi T, Wajda M, Lebovits A, Bekker A. Treatment with lavender aromatherapy in the post-anesthesia care unit reduces opioid requirements of morbidly obese patients undergoing laparoscopic adjustable gastric banding. Obes Surg. 2007 Jul;17(7):920-5.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17894152

Este óleo essencial você encontra na

so_pria

Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

Anúncios

ÓLEO DE SUCUPIRA

1423492640_full.jpeg

Potencial fitoterápico de uso em inflamações, dores e para aqueles que se sentem abalados por intenso sofrimento.

Inúmeros estudos científicos têm demonstrado que moléculas presentes no óleo essencial de sucupira possui forte atividade anti-cancerígena e anti-inflamatória. A maioria destes estudos são desconhecidos e é dada pouca atenção ao enorme potencial fitoterápico inerente a esta planta.

Neste formidável artigo você terá a chance de se aprofundar no potencial terapêutico do óleo de sucupira, conhecer suas moléculas ativas e os aspectos sutis que seu óleo essencial trabalha na parte emocional. Para ler ele na íntegra acesse:

http://laszlo.ind.br/campanhas/Oleo_essencial_de_Sucupira-branca-Pterodon-emarginatus.pdf

Abaixo alguns trechos do artigo:

Aspectos sutis e energéticos:

A sucupira faz parte da mesma família do feijão. É uma árvore de porte médio, de 8 a 16 metros, de copa piramidal rala, que nasce em terrenos secos e arenosos e que ajuda na melhoria dos solos devido a realizar um processo de simbiose com bactérias que fixam o nitrogênio da atmosfera.

Para resistir à seca, a sucupira forma em suas raízes nódulos de expansão como reserva de água em formato de batatas.

O seu óleo essencial concentra-se apenas nas sementes com a função de inibir sua germinação até a época de chuva intensa, além de atuar na sua proteção contra insetos. As sementes são protegidas por uma dura couraça e a grande concentração de óleo e resina em seu interior evita sua desidratação e morte sob o intenso sol do cerrado.

O óleo da sucupira possui características calmantes e ansiolíticas, tranquilidade esta necessária para a sobrevivência de uma árvore que nasce em lugares tão estressantes, principalmente em se tratando de disponibilidade de água. Sua resistência à falta de água mostra uma capacidade “emocional” de saber lidar com os aspectos áridos da vida.

Indicado para aqueles abalados por intenso sofrimento neste mundo, que tem que conviver com pessoas ríspidas, sem carinho ou emotividade, tornando-se por vezes pessoas tristes, feridas e amarguradas, que não deixam fluir mais as emoções de forma natural. Nestes casos, as mágoas e ressentimentos guardados são somatizados na forma de couraças e nódulos emocionais, que fisicamente podem se manifestar na forma de tumores e câncer.

Indicações estéticas:

– Regeneração e rejuvenescimento da pele +
– Ação anti-acne e antisséptica da pele

Indicações terapêuticas:

– Anti-histamínico (útil em asma e alergias de pele e respiratórias) +
– Antiinflamatório útil em bursites, artrites e reumatismos +++
– Fibromialgia ++
– Analgésico moderado, útil em tendinites, contusões e distensões musculares ++
– Antiespasmódico (cólicas menstruais e de outros tipos) ++
– Antiulcerativo e gastroprotetor ++
– Cicatrizante útil em feridas e queimaduras +++
– Útil em gengivite (sangramento das gengivas) ++
– Anticancerígeno +++
– Calmante suave
– Antimicrobial

Este óleo essencial você encontra na

so_pria
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

CIPRESTE AZUL – O óleo que faz neurônios crescerem e paralisa a tensão muscular

1779892_715436991860582_3125147438585097835_n

“O cipreste azul (Callitris columellaris (sin.: Callitris intratropica)) é um novo óleo essencial que chega na aromaterapia armado de grande potencial terapêutico. Seu maior destaque é a sua capacidade neuroprotetora e indutora do crescimento de axônios em neurônios, útil a quem sofre de doenças associadas com a perda neural (como o Alzheimer, esclerose múltipla, avc, senilidade e outros), e sua potente ação relaxante muscular, que o torna um dos recursos mais eficientes para uso na massagem.” LZ

Indicações terapêuticas:

– Antiinflamatório útil em bursites, artrites e reumatismos +++
– Analgésico útil em tendinites, contusões e distensões musculares +++
– Relaxante muscular útil em torcicolo, tensão e nódulos musculares ++++
– Antialérgico (pele, rinite) ++
– Antifúngico e antimicrobial (bactérias e micoses) +++
– Cicatrizante útil em feridas e queimaduras +++
– Regenerador da pele e rejuvenescedor +++
– Antioxidante +++
– Anticancerígeno e antitumoral +++
– Imunoregulador em doenças auto-imunes como dermatites +++
– Reduz convulsões e frequência de ataques epilépticos
– Possui efeito hipotensor +
– Aumenta a motilidade intestinal melhorando a prisão de ventre ++
– Reduz rugas e linhas de expressão ocasionadas por tensão dos músculos faciais ++++

1010115_715440185193596_5077430084730731439_n

O cipreste azul é uma árvore nativa do norte e oeste da Austrália procurada nestas áreas para uso de sua madeira.

Seu óleo essencial difere dos óleos de ciprestes tradicionais, até por que é obtido da madeira e não das folhas. Seu processo de destilação é demorado e pode durar até 48 horas sob temperatura e pressão controladas para não destruir moléculas sensíveis como os azulenos, que dão uma magnífica cor azul a este óleo essencial. Seus principais azulenos são o guaiol e o guaiazuleno, este último possui propriedades anti-oxidantes8, anti-asmáticas5, anti-inflamatórias, anti-piréticas6 e anti-alergênicas7 similares às do camazuleno. Além disso o guaiazuleno se mostrou eficiente no tratamento da dermatite recalcitrante22.

Quando o óleo de cipreste azul é primeiramente extraído, ele possui um teor de guaiol muito alto (26-30%). O guaiol é o componente principal responsável pelo aroma do óleo de pau santo falso (Bulnesia sarmientoi). O óleo com esta porcentagem de guaiol vem a ficar sólido em temperaturas inferiores a 18ºC. Para evitar isso, o guaiol cristalizado é separado do líquido por filtração a vacum para atingir níveis próximo de 11%. O guaiol possui propriedades antioxidantes e antimicrobiais34,35,36.

A madeira e os galhos possuem em torno de 85% de a-pineno. Para reduzir os níveis de a-pineno, na destilaria as primeiras horas das partes destiladas é descartada. Ou, alternativamente a madeira picada é deixada exposta ao ar antes de ser destilada, para parte do a-pineno evaporar para a atmosfera. Este óleo modificado se torna assim uma nota de base tendo um aroma amadeirado doce, balsâmico e herbáceo. É um excelente fixador de perfumes que mistura bem com outras notas amadeiradas, cítricas e aromas “verdes”, caindo muito bem, especialmente em perfumes masculinos. Comercialmente somente se encontra para comprar o óleo sem a-pineno e com teor de guaiol reduzido.

10451024_715441941860087_6931938884963658318_n

O cipreste azul contém também em seu óleo certa quantidade eudesmol, conhecido por sua ação antiviral1 em óleos empregados por aromaterapeutas no tratamento de verrugas e herpes. Os isômeros do eudesmol também veem sendo estudados pelo seu poder de inibição de tumores e variados tipos de câncer, seja por uma ação indutora da apoptose (morte celular) ou ação anti-angiogênese9,10,11,12,13,14,15. O guaiazuleno também mostrou ter propriedades anticancerígenas, inclusive mais fortes que as do a-humuleno (presente na sucupira) na inibição proliferativa de células tumorais com ação anti-radicais livres marcante16,17.
Mas o uso mais proeminente do b-eudesmol do óleo de cipreste azul, é no sistema nervoso. Primeiro, foi observado que o b-eudesmol possui a capacidade de induzir o crescimento de neurônios, com aumento da extensão de axônios25,26, sendo uma promissora terapêutica, de acordo com estudos, no tratamento da doença de Alzheimer26 e outras patologias associadas à perda neural.

Além disso, este componente demonstrou ter uma ação antagonista à toxidade letal induzida pelos organofosfatos (tipo de agrotóxicos) pela reversão da falência neuromuscular e redução da ocorrrência de convulsões28,29. Este resultado sugere seu potencial terapêutico no controle dos ataques epilépticos e convulsões.

O isômero a-eudesmol, mostrou ter ação neuroprotetora no AVC reduzindo o tamanho da área infartada27. Devido a reduzir a inflamação neurogênica no sistema trigêmio-vascular30, responsável pela sensibilidade na face e no crânio, o a-eudesmol mostrou-se igualmente eficiente no tratamento de variados tipos de enxaquecas.

Uma planta oriental, a Atractylodes lancea, indicada na medicina tradicional chinesa no alívio de dores musculares, contém como princípio ativo para este fim, o b-eudesmol. Foi descoberto que esta molécula, presente em consideráveis proporções no cipreste azul, é um bloqueador neuromuscular despolarizante que interrompe a transmissão do impulso nervoso na junção neuromuscular ao deprimir a liberação regenerativa de acetilcolina durante estimulação repetitiva, produzindo assim, paralisia dos músculos esqueléticos18,19,20. Além disso, o b-eudesmol mostrou aumentar o efeito da succinilcolina, droga utilizada com função bloqueadora muscular, tendo este efeito sido mais forte em animais diabéticos21.
Ao inibir a contração muscular induzida pelos nervos, o b-eudesmol promove uma ação relaxante muscular muito útil na massagem no alívio e liberação de nódulos de tensão muscular ocasionados por stress ou mecanismos inflamatórios. O cipreste azul por conter boa parcela deste composto, é desta forma um excelente óleo terapêutico para massagens.

Esta sua ação relaxante neuromuscular, ainda permite ao óleo de cipreste azul inibir localmente os nervos de contraírem os músculos faciais devido a um constante estado de tensão em pessoas estressadas, o que com o passar das semanas de uso, reduz as rugas faciais e linhas de expressão.

O b-eudesmol mostrou ter também um efeito inibidor dos receptores de dopamina e seratonina (5-HT) nos intestinos, induzindo assim a um aumento da motilidade intestinal24, mostrando potencial de uso do óleo essencial de cipreste azul no tratamento da prisão de ventre.

Ainda sobre as propriedades do b-eudesmol, este componente ativo do óleo de cipreste azul apresentou ação anti-inflamatória (com inibição da IL6)2,3, ação anti-ulcerogênica3, comprovado poder antifúngico contra micoses de pele31, propriedades hipotensoras32 e hepatoprotetoras33.

Em experiências práticas de aromaterapeutas ao redor do mundo, o cipreste azul tem demonstrado resultados muito satisfatórios no tratamento via inalação de alergias respiratórias (rinites) e de pele e parece ter uma ação imunomoduladora que responde em algumas desordens auto-imunes, como as dermatites.
Aspectos emocionais:

Este óleo atua naqueles que precisam perceber sua individualidade, valorizando-se, trabalhando a aceitação própria e sua força de vontade. Igualmente é um óleo com qualidades aterradoras, que dissolve emoções de pessimismo e agressividade (raiva). O cipreste azul produz um profundo estado de relaxamento, liberando couraças de tensão ao longo de todo o corpo, aliviando assim o estresse. Seda e tranquiliza, favorecendo a introspecção e reflexão.

Usos veterinários:

O óleo de cipreste azul ainda pode ser considerado como tendo potencial inseticida devido aos componentes b-eudesmol4 e guaiol23, contra a mosca doméstica e das frutas, ácaros e outros insetos.

Contra-indicações:

Deve-se evitar seu uso em mulheres grávidas (anti-angiogênico), pessoas com paralisia do diafragma e dificuldade respiratória (devido ao efeito bloqueador muscular do óleo), hipotensos, pessoas que tenham arritmia cardíaca e glaucoma.

1384191_715439738526974_4534535779845016818_n

CROMATOGRAFIA CIPRESTE AZUL LASZLO
Constituinte Porcentagem

β –elemeno 1.1
α – guaieno 0.7
β –chamigreno 1.7
β –selineno 3.9
Cis – β –guaieno 0.5
α- selineno 3.6
α-bulneseno 0.9
Guaiazuleno 0.1
Callitrina 1.1
Callitrisina isômero 1 0.9
Callitrisina isômero 2 1.9
Columellarina 0.4
Germacranolídeo isômero 1 0.2
Germacranolídeo isômero 2 0.1
Dihidrocolumellarina 10.3
Camazuleno 0.1
Elemol 1.7
Guaiol 15.2
γ- eudesmol 10.7
β- eudesmol 7.6
Bulnesol 12.7

Textos Fabian Laszlo
Aromatólogo e pesquisador de óleos essenciais

ÓLEO EM BREVE À VENDA NA

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

Copyright©: Este artigo pode ser reproduzido em sites e blogs na internet desde que citado nome do autor e contato.

Referências:

1. Astani A, et al.Screening for antiviral activities of isolated compounds from essential oils. Evid Based Complement Alternat Med. 2011;2011:253643.
2. Seo MJ, et al. The regulatory mechanism of β-eudesmol is through the suppression of caspase-1 activation in mast cell-mediated inflammatory response. Immunopharmacol Immunotoxicol. 2011 Mar;33(1):178-85.
3. Sghaier MB et al. Anti-inflammatory and antiulcerogenic activities of leaf extracts and sesquiterpene from Teucrium ramosissimum (Lamiaceae). Immunopharmacol Immunotoxicol. 2011 Dec;33(4):656-62.
4. Chu SS et al. Insecticidal compounds from the essential oil of Chinese medicinal herb Atractylodes chinensis. Pest Manag Sci. 2011 Oct;67(10):1253-7.
5. BLAZSO S. Further results with chamazulene in the treatment of asthmatic diseases in infancy and childhood. Schweiz Med Wochenschr. 1951 Feb 3;81(5):110-1.
6. Horakova Z. Antipyretic action of chamazulene. Chekh Fiziol. 1952;1(3):195-204.
7. Mitolo Gr.Camazulene in allergic diseases. I. Experimental study on the toxic effects and histamine and serum shock in guinea pigs. Minerva Pediatr. 1954 Nov 30;6(22):918-22.
8. Dovolou E et al. Effects of guaiazulene on in vitro bovine embryo production and on mRNA transcripts related to embryo quality. Reprod Domest Anim. 2011 Oct;46(5):862-9.
9. Bomfim DS, et al. Eudesmol isomers induce caspase-mediated apoptosis in human hepatocellular carcinoma HepG2 cells. Basic Clin Pharmacol Toxicol. 2013 Nov;113(5):300-6.
10. Li Y, et al. β-Eudesmol induces JNK-dependent apoptosis through the mitochondrial pathway in HL60 cells. Phytother Res. 2013 Mar;27(3):338-43.
11. Yang H, et al. Cytotoxic terpenoids from Juglans sinensis leaves and twigs. Bioorg Med Chem Lett. 2012 Mar 1;22(5):2079-83.
12. Ma EL, et al. Beta-eudesmol suppresses tumour growth through inhibition of tumour neovascularisation and tumour cell proliferation. J Asian Nat Prod Res. 2008 Jan-Feb;10(1-2):159-67
13. Tsuneki H, et al. Antiangiogenic activity of beta-eudesmol in vitro and in vivo. Eur J Pharmacol. 2005 Apr 11;512(2-3):105-15.
14. Ben Sghaier M et al. Flavonoids and sesquiterpenes from Tecurium ramosissimum promote antiproliferation of human cancer cells and enhance antioxidant activity: a structure-activity relationship study. Environ Toxicol Pharmacol. 2011 Nov;32(3):336-48.
15. Britto AC et al. In vitro and in vivo antitumor effects of the essential oil from the leaves of Guatteria friesiana. Planta Med. 2012 Mar;78(5):409-14.
16. Vinholes J et al. Assessment of the antioxidant and antiproliferative effects of sesquiterpenic compounds in in vitro Caco-2 cell models. Food Chem. 2014 Aug 1;156:204-11.
17. Fiori J, et al. Cytotoxic activity of guaiazulene on gingival fibroblasts and the influence of light exposure on guaiazulene-induced cell death. Toxicol In Vitro. 2011 Feb;25(1):64-72.
18. Chiou LC, et al. Antagonism by beta-eudesmol of neostigmine-induced neuromuscular failure in mouse diaphragms. Eur J Pharmacol. 1992 Jun 5;216(2):199-206.
19. Kimura M et al. Mechanism of the blocking action of beta-eudesmol on the nicotinic acetylcholine receptor channel in mouse skeletal muscles. Neuropharmacology. 1991 Aug;30(8):835-41.
20. Nojima H et al. Blocking action of succinylcholine with beta-eudesmol on acetylcholine-activated channel activity at endplates of single muscle cells of adult mice. Brain Res. 1992 Mar 20;575(2):337-40.
21. Kimura M, et al. Structural components of beta-eudesmol essential for its potentiating effect on succinylcholine-induced neuromuscular blockade in mice. Biol Pharm Bull. 1994 Sep;17(9):1232-40.
22. J Matern Fetal Neonatal Med. 2013 Jan;26(2):197-200.
Guaiazulene: a new treatment option for recalcitrant diaper dermatitis in NICU patients.
23. Liu T et al. Guaiol–a naturally occurring insecticidal sesquiterpene. Nat Prod Commun. 2013 Oct;8(10):1353-4.
24. Kimura Y, Sumiyoshi M. Effects of an Atractylodes lancea rhizome extract and a volatile component β-eudesmol on gastrointestinal motility in mice. J Ethnopharmacol. 2012 May 7;141(1):530-6.
25. Obara Y, et al. Beta-eudesmol induces neurite outgrowth in rat pheochromocytoma cells accompanied by an activation of mitogen-activated protein kinase. J Pharmacol Exp Ther. 2002 Jun;301(3):803-11.
26. Obara Y. Development of anti-dementia drugs related to neurotrophic factors. Yakugaku Zasshi. 2006 Sep;126(9):747-55.
27. Asakura K et al. omega-agatoxin IVA-sensitive Ca(2+) channel blocker, alpha-eudesmol, protects against brain injury after focal ischemia in rats. Eur J Pharmacol. 2000 Apr 7;394(1):57-65.
28. Chiou LC et al. beta-Eudesmol as an antidote for intoxication from organophosphorus anticholinesterase agents. Eur J Pharmacol. 1995 Jan 13;292(2):151-6.
29. Chiou LC, et al. Chinese herb constituent beta-eudesmol alleviated the electroshock seizures in mice and electrographic seizures in rat hippocampal slices. Neurosci Lett. 1997 Aug 15;231(3):171-4.
30. Asakura K et al. alpha-eudesmol, a P/Q-type Ca(2+) channel blocker, inhibits neurogenic vasodilation and extravasation following electrical stimulation of trigeminal ganglion. Brain Res. 2000 Aug 4;873(1):94-101.
31. Aguilar-Guadarrama B, et al. Active compounds against tinea pedis dermatophytes from Ageratina pichinchensis var. bustamenta. Nat Prod Res. 2009;23(16):1559-65.
32. Arora CK, et al. Hypotensive activity of beta-eudesmol and some related sesquiterpenes. Indian J Med Res. 1967 May;55(5):463-72.
33. Kiso Y, et al. Antihepatotoxic principles of Atractylodes rhizomes. J Nat Prod. 1983 Sep-Oct;46(5):651-4.
34. Processes for obtaining (-)-guaiol and the use thereof US 7071366 B2 http://www.google.com/patents/US7071366 (visitado em outubro de 2014)
35. D. P. Grettie. Gum guaiac—A new anti-oxidant for oils and fats. July 1933, Volume 10, Issue 7, pp 126-127
36. Choudhary, Muhammad Iqbal et al. Microbial Transformation of (−)-Guaiol and Antibacterial Activity of Its Transformed Products. J. Nat. Prod., 2007, 70 (5), pp 849–852

      

CALÊNDULA CO2-TO disponível na LASZLO

1233418_707636182640663_6838827583930993317_n

texto de Fabian Laszlo
Conta-se que na guerra civil americana, os médicos que atuavam nos campos de batalha utilizavam as flores e as folhas da calêndula para tratar os ferimentos dos soldados. Anos mais tarde, a ciência comprovou os efeitos que aqueles médicos conheceram na prática. Além de útil na saúde, como um poderoso anti-inflamatório e cicatrizante, a calêndula também possui propriedades antioxidantes que rejuvenescem a pele e ação protetora solar devido a seus carotenóides.

O ácido calêndico é um ácido graxo ômega 6 do grupo do ácido linoléico conjugado (CLA) encontrado na Calendula officinalis e de ação antiinflamatória. No CO2 total, além do óleo essencial rico em faradiol ésteres, ainda encontramos carotenóides (xantinas, calendulina, caroteno, licopeno, zeaxantina etc), flavonóides, ácido oleanóico, saponinas, mucilagens, resinas, princípios amargos, polissacarídeos, ácido salicílico, vitaminas e minerais, sendo um produto de altíssima concentração de princípios ativos.

Propriedades:

Anti-inflamatório +++
Cicatrizante ++++
Infecção no ouvido (otite) +++
Inflamação da pele e feridas ++++
Queimaduras ++++
Escaras ++++
Feridas que não se fecham ++++
Eczemas, dermatites e pruridos ++
Protetor solar (carotenóides) ++
Acne ++
Dores musculares (analgésico) +

Levantamento bibliográfico de Calendula officinalis (Asteraceae): espécie de interesse ao Sistema Único de Saúde (SUS):
http://www.uems.br/portal/biblioteca/repositorio/2011-07-04_15-11-13.pdf

Outros potenciais como ação anti-HIV, anticancerígena, hepatoprotetora, imunoestimulante etc se lê neste artigo: http://www.globalsciencebooks.info/JournalsSup/images/Sample/MAPSB_6(1)12-27o.pdf

E incrivelmente um estudo mostrou que a calêndula possui efeito sobre a hiperplasia benigna de próstata: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/78988/193200.pdf?sequence=1

O extrato via CO2 hipercrítico da calêndula você encontra na

PRIA
www.pria.com.br 

    

ÓLEO ESSENCIAL DE GENGIBRE INIBE MIGRAÇÃO DE LEUCÓCITOS AGINDO COMO ANTIINFLAMATÓRIO

10662000_704199136317701_5653021321172776759_o

 

Nogueira de Melo GA1, Grespan R, Fonseca JP, Farinha TO, da Silva EL, Romero AL, Bersani-Amado CA, Cuman RK. Inhibitory effects of ginger (Zingiber officinale Roscoe) essential oil on leukocyte migration in vivo and in vitro. J Nat Med. 2011 Jan;65(1):241-6.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20981498

LASZLO
O essencial em sua vida!
www.laszlo.ind.br

Eles voltaram!

Vários óleos que andavam “sumidos” estão de volta. Quem andava ansioso pelo sangue de dragão, manuka, jasmim sambac e vários outros, já podem visitar a loja da Pria e se esbaldar.

Vou colocando aqui posts sobre estes óleos. E hoje é o Sangue e dragão:

Sangue de dragão

SANGUE DE DRAGÃO
Já chegou novamente e com excelente qualidade e pureza!

A Laszlo ficou meses sem sangue de dragão devido a adulteração corrente com este produto no mercado que vem sendo diluído frequentemente com água e álcool com intuito de baratear preço, mas que implica na queda de sua eficácia. Após meses de testes e amostras, novamente conseguimos o produto que está de acordo com nosso exigente padrão de qualidade.

O sangue de dragão é uma seiva obtida de uma árvore da amazônia com inigualáveis propriedades terapêuticas. É um dos cicatrizantes mais fortes conhecidos. Em cosméticos além de aumentar a síntese de colágeno reduzindo a formação de rugas, age protegendo a pele contra os raios UV e promove seu rejuvenescimento.

Pesquisas realizadas pelo Dr. John Wallace da Universidade de Calgary no Canadá mostraram que, de fato, ele é um potente inibidor da inflamação e da dor, sendo o alcalóide taspina o responsável pelo sua atividade antiinflamatória em específico. Segundo Wallace, “não somente o sangue de dragão previne a sensação da dor, mas também bloqueia a resposta do tecido a químicos liberados pelos nervos que promovem a inflamação. Não existe na atualidade médica nenhuma outra substância que nós conhecemos que possua estas mesmas atividades”.

Em testes laboratoriais, o grupo de pesquisadores de Wallace demonstrou que o sangue de dragão bloqueia topicamente a ativação das fibras nervosas que liberam sinais de dor para o cérebro, funcionando como um assassino da dor.

Para ler mais, acesse o site da Laszlo e leia o artigo completo com informações detalhadas: http://laszlo.ind.br/campanhas/SANGUE_DE_DRAGAO_LASZLO.pdf

Recebemos também os seguintes óleos essenciais:

MANUKA
CACAU ABSOLUTO GT FRANCA
BREU BRANCO GT AMAZONIA
MADEIRA DO SIAO
CAPIM LIMAO GIGANTE
ESPRUCE NEGRO GT CANADA
CEDRO DO ATLAS
GENGIBRE CO2-TO

http://www.pria.com.br

ÓLEOS ESSENCIAIS X FIBROMIALGIA – Experiência com o capim-limão

Imagem

Este é um depoimento de Vanessa Mesquita – enfermeira e aromaterapeuta

Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem desencadear a fibromialgia. Alguns tipos de estresses como doenças, traumas emocionais ou físicos, mudanças hormonais, etc, podem gerar dores ou fadiga generalizadas que não melhoram com o descanso e que caracterizam a fibromialgia.

Trauma físico ou emocional pode desencadear a fibromialgia. Exemplificando uma infecção, um episódio de gripe, ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Pessoas com fibromialgia podem ficar inativas ou ansiosas com sua saúde, agravando esta condição.

Fibromialgia significa dores nos músculos e tecidos conectivos fibrosos (ligamentos e tendões). Esta condição é considerada uma síndrome porque abrange um conjunto de sinais e sintomas que podem ocorrer simultaneamente em diferentes doenças.

Ela geralmente é sentida em todo o corpo, embora possa começar em uma região, como pescoço ou ombro, e se espalhar para outras áreas após algum tempo. A dor em fibromialgia tem sido descrita de várias maneiras, dentre as quais ardência, incômodo, rigidez e fisgadas. Geralmente varia com a hora do dia, tipo de atividade, clima, padrão de sono e estresse, trazendo também distúrbios emocionais sérios.

O relato abaixo é feito pela técnica de enfermagem, massoterapeuta e aromaterapeuta Vanessa Mesquita, servidora do Tribunal de Justiça do DF e voluntária do Hospital da Base, Hospital público de Brasília, no “ambulatório da dor” (ambulatório que tem pacientes com dores crônicas):

“Esta paciente da qual vou relatar, está comigo há um ano com um trabalho de massoterapia. Este ano introduzi ao trabalho a aromaterapia, da qual pude perceber uma melhora muito mais rápida. Ela é uma paciente com um quadro depressivo sério, porém hoje, controlado com o uso do óleo essencial de lavanda (Lavandula angustifolia) principalmente na inalação. Além disso, possui um quadro de fibromialgia desde 2000, devido a uma queda que levou.

Comecei trabalhando a massagem usando óleos essenciais de lavanda e ylang ylang já que é hipertensa leve. Sentiu uma melhora considerável. Há três meses introduzi outro óleo essencial, o capim cidreira (Cymbopogon citratus) que para minha surpresa tirou-a da crise. Pedi que tomasse no máximo duas X ao dia 3 gotas e monitorasse a pressão, já que faz uso de medicação. Conseguiu dormir melhor e relaxar. Foi visível a melhora.

Comecei a usar o óleo essencial de capim cidreira p/ ingestão em outros pacientes fibromiálgicos e pude perceber a mesma coisa. Eles saíram do quadro de crise. Fibromialgia não tem cura, mas está muito ligado ao emocional. Devido ao relaxamento que o capim faz, já que ele é vasodilatador, vai amenizando as dores até chegar ao estágio quase que normal. Ele é também um óleo essencial de propriedades anti-inflamatórias e analgésicas que ajudam nisso. Hoje tenho pacientes que tomam um simples analgésico (com receio de intensificar a dor) ao invés das medicações tradicionais e bem mais agressivas ao organismo, mas que tomam como prevenção o óleo de capim cidreira.”

Vanessa Mesquita
Enfermeira e Aromaterapeuta

http://www.pria.com.br