ÓLEO DE SUCUPIRA

1423492640_full.jpeg

Potencial fitoterápico de uso em inflamações, dores e para aqueles que se sentem abalados por intenso sofrimento.

Inúmeros estudos científicos têm demonstrado que moléculas presentes no óleo essencial de sucupira possui forte atividade anti-cancerígena e anti-inflamatória. A maioria destes estudos são desconhecidos e é dada pouca atenção ao enorme potencial fitoterápico inerente a esta planta.

Neste formidável artigo você terá a chance de se aprofundar no potencial terapêutico do óleo de sucupira, conhecer suas moléculas ativas e os aspectos sutis que seu óleo essencial trabalha na parte emocional. Para ler ele na íntegra acesse:

http://laszlo.ind.br/campanhas/Oleo_essencial_de_Sucupira-branca-Pterodon-emarginatus.pdf

Abaixo alguns trechos do artigo:

Aspectos sutis e energéticos:

A sucupira faz parte da mesma família do feijão. É uma árvore de porte médio, de 8 a 16 metros, de copa piramidal rala, que nasce em terrenos secos e arenosos e que ajuda na melhoria dos solos devido a realizar um processo de simbiose com bactérias que fixam o nitrogênio da atmosfera.

Para resistir à seca, a sucupira forma em suas raízes nódulos de expansão como reserva de água em formato de batatas.

O seu óleo essencial concentra-se apenas nas sementes com a função de inibir sua germinação até a época de chuva intensa, além de atuar na sua proteção contra insetos. As sementes são protegidas por uma dura couraça e a grande concentração de óleo e resina em seu interior evita sua desidratação e morte sob o intenso sol do cerrado.

O óleo da sucupira possui características calmantes e ansiolíticas, tranquilidade esta necessária para a sobrevivência de uma árvore que nasce em lugares tão estressantes, principalmente em se tratando de disponibilidade de água. Sua resistência à falta de água mostra uma capacidade “emocional” de saber lidar com os aspectos áridos da vida.

Indicado para aqueles abalados por intenso sofrimento neste mundo, que tem que conviver com pessoas ríspidas, sem carinho ou emotividade, tornando-se por vezes pessoas tristes, feridas e amarguradas, que não deixam fluir mais as emoções de forma natural. Nestes casos, as mágoas e ressentimentos guardados são somatizados na forma de couraças e nódulos emocionais, que fisicamente podem se manifestar na forma de tumores e câncer.

Indicações estéticas:

– Regeneração e rejuvenescimento da pele +
– Ação anti-acne e antisséptica da pele

Indicações terapêuticas:

– Anti-histamínico (útil em asma e alergias de pele e respiratórias) +
– Antiinflamatório útil em bursites, artrites e reumatismos +++
– Fibromialgia ++
– Analgésico moderado, útil em tendinites, contusões e distensões musculares ++
– Antiespasmódico (cólicas menstruais e de outros tipos) ++
– Antiulcerativo e gastroprotetor ++
– Cicatrizante útil em feridas e queimaduras +++
– Útil em gengivite (sangramento das gengivas) ++
– Anticancerígeno +++
– Calmante suave
– Antimicrobial

Este óleo essencial você encontra na

so_pria
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

ÓLEOS ESSENCIAIS X FIBROMIALGIA – Experiência com o capim-limão

Imagem

Este é um depoimento de Vanessa Mesquita – enfermeira e aromaterapeuta

Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem desencadear a fibromialgia. Alguns tipos de estresses como doenças, traumas emocionais ou físicos, mudanças hormonais, etc, podem gerar dores ou fadiga generalizadas que não melhoram com o descanso e que caracterizam a fibromialgia.

Trauma físico ou emocional pode desencadear a fibromialgia. Exemplificando uma infecção, um episódio de gripe, ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Pessoas com fibromialgia podem ficar inativas ou ansiosas com sua saúde, agravando esta condição.

Fibromialgia significa dores nos músculos e tecidos conectivos fibrosos (ligamentos e tendões). Esta condição é considerada uma síndrome porque abrange um conjunto de sinais e sintomas que podem ocorrer simultaneamente em diferentes doenças.

Ela geralmente é sentida em todo o corpo, embora possa começar em uma região, como pescoço ou ombro, e se espalhar para outras áreas após algum tempo. A dor em fibromialgia tem sido descrita de várias maneiras, dentre as quais ardência, incômodo, rigidez e fisgadas. Geralmente varia com a hora do dia, tipo de atividade, clima, padrão de sono e estresse, trazendo também distúrbios emocionais sérios.

O relato abaixo é feito pela técnica de enfermagem, massoterapeuta e aromaterapeuta Vanessa Mesquita, servidora do Tribunal de Justiça do DF e voluntária do Hospital da Base, Hospital público de Brasília, no “ambulatório da dor” (ambulatório que tem pacientes com dores crônicas):

“Esta paciente da qual vou relatar, está comigo há um ano com um trabalho de massoterapia. Este ano introduzi ao trabalho a aromaterapia, da qual pude perceber uma melhora muito mais rápida. Ela é uma paciente com um quadro depressivo sério, porém hoje, controlado com o uso do óleo essencial de lavanda (Lavandula angustifolia) principalmente na inalação. Além disso, possui um quadro de fibromialgia desde 2000, devido a uma queda que levou.

Comecei trabalhando a massagem usando óleos essenciais de lavanda e ylang ylang já que é hipertensa leve. Sentiu uma melhora considerável. Há três meses introduzi outro óleo essencial, o capim cidreira (Cymbopogon citratus) que para minha surpresa tirou-a da crise. Pedi que tomasse no máximo duas X ao dia 3 gotas e monitorasse a pressão, já que faz uso de medicação. Conseguiu dormir melhor e relaxar. Foi visível a melhora.

Comecei a usar o óleo essencial de capim cidreira p/ ingestão em outros pacientes fibromiálgicos e pude perceber a mesma coisa. Eles saíram do quadro de crise. Fibromialgia não tem cura, mas está muito ligado ao emocional. Devido ao relaxamento que o capim faz, já que ele é vasodilatador, vai amenizando as dores até chegar ao estágio quase que normal. Ele é também um óleo essencial de propriedades anti-inflamatórias e analgésicas que ajudam nisso. Hoje tenho pacientes que tomam um simples analgésico (com receio de intensificar a dor) ao invés das medicações tradicionais e bem mais agressivas ao organismo, mas que tomam como prevenção o óleo de capim cidreira.”

Vanessa Mesquita
Enfermeira e Aromaterapeuta

http://www.pria.com.br