ÓLEO DE LARANJA REDUZ ANSIEDADE DURANTE TRABALHO DE PARTO

12523000_963733897030889_5466634975857492368_n

O trabalho de parto é um momento extremamente estressante para a mulher e meios naturais que possam reduzir a ansiedade são muito positivos neste momento. E um estudo recentemente publicado numa revista de enfermagem do Irã, mostrou que o óleo essencial de laranja pode ser muito útil neste momento.

Durante a pesquisa clínica que envolveu 100 mulheres, dois grupos foram separados, aquele que utilizou via difusor ambiental o óleo de laranja e o grupo controle que utilizou apenas água destilada. Apesar de ambos os grupos terem uma redução psicológica da ansiedade após a intervenção, a redução da ansiedade foi maior no grupo que utilizou o óleo de laranja.

O estudo concluiu considerando que o óleo de laranja é uma opção barata, segura e agradável ao uso por mulheres durante o trabalho de parto, através de difusores de ambiente, para o alívio da ensiedade.

Fábián László
Cientista aromatólogo

Referência: Rashidi-Fakari F, Tabatabaeichehr M, Mortazavi H. The effect of aromatherapy by essential oil of orange on anxiety during labor: A randomized clinical trial. Iran J Nurs Midwifery Res. 2015 Nov-Dec;20(6):661-4.

Leia mais sobre óleos essenciais durante o parto e gravidez, artigo de André Ferraz:
http://laszlo.ind.br/campanhas/OLEOS_ESSENCIAIS_NA_GESTAÇÃO_Andre_Ferraz.pdf

Óleo essencial de laranja você encontra na

 

so_pria

Sua Saúde Natural

!www.pria.com.br

Imagem (parto humanizado): http://womansplaining.com.br/parto-humanizado-e-o-servico-de-doulas-desmistificando/

ÓLEO DE ALCARÁVIA AUMENTA HORMÔNIO DA TIREÓIDE

12509327_956222641115348_2041983461893607159_n.jpg

A alcarávia (Carum carvi), chamada em inglês de caraway, possui um óleo obtido de suas sementes e rico no componente carvona, uma cetona de ação calmante e sedativa. É conhecido por ter propriedades digestivas e estrogênicas (muito parecidas com as do funcho). É usada no alívio de cólicas intestinais e menstruais por ser antiespasmódica.

Uma pesquisa de 2010 mostrou que o uso prolongado de extrato da alcarávia em altas doses, pode ocasionar hipertiroidismo com aumento do T3, T4 e diminuição do TSH. Os cientistas ainda não descobriram exatamente o mecanismo que causa este efeito, mas suspeita-se que o componente carvona, presente em alta concentração no óleo essencial, seja o responsável por este efeito. Desta forma, o óleo essencial de alcarávia mostra-se como tendo potencial terapêutico auxiliar no hipotireoidismo, mas é definitivamente contra-indicado em casos de hipertireoidismo, pois pode agravar o quadro. A dosagem correta para tratamento de distúrbios da tireóide não é conhecida ainda, mas é possível que algum efeito positivo se tenha com inalações e outras formas de uso. Futuras pesquisas são necessárias neste sentido.

Vale ressaltar que o óleo de alcarávia não substitui o hormônio da tireóide em quem faz reposição hormonal. Se você tem algum problema de saúde, oriente-se com seu médico.

Autor:Fabian LaszloCientista aromatólogo

Referência:Dehghani, F. et al. Effect of hydroalcoholic extract of caraway on thyroid gland structure and hormones in female rat. Iranian Journal of Veterinary Research, Shiraz University, Vol. 11, No. 4, Ser. No. 33, 2010

Outro artigo relevante: TIREOIDE E ÓLEOS ESSENCIAIShttps://www.facebook.com/laszlobrasil/photos/a.209468372457449.46847.208799552524331/604235052980777/?type=1&theater

Este óleo essencial você encontra na

so_pria

Sua Saúde Natural!

www.pria.com.br

 

ÓLEO DE CANELA AUMENTA EFICÁCIA DO ANTIBIÓTICO CLINDAMICINA SEGUNDO ESTUDO

12507247_957388500998762_2368978848227451468_n.jpg

A clostridium difficile é uma bactéria que está naturalmente presente na flora intestinal de cerca de 3% dos adultos e 66% das crianças.

Esta bactéria não causa problemas a pessoas saudáveis, contudo, alguns antibióticos utilizados para tratar outros problemas de saúde podem interferir com o equilíbrio das “bactérias boas” da flora intestinal. Quando isto acontece, aclostridium difficile pode multiplicar-se e causar sintomas como diarreias e febre.

Como estas infecções são geralmente causadas por antibióticos, a maioria dos casos ocorre num ambiente de cuidados de saúde, no hospital, por exemplo.

Os sintomas da infecção incluem diarreia ligeira a severa, fezes com sangue, febre e cãibras no estômago. Estes sintomas são normalmente causados por colites (inflamação do revestimento do intestino grosso). Em casos raros, esta bactéria pode causar uma infecção no revestimento das paredes do abdómen (peritonite), septicemia e perfuração do cólon.

Por conseguinte, tem havido um interesse crescente na utilização de inibidores de resistência a antibióticos para uso em terapia de combinação.

Antibióticos como a clindamicina, perturbam a flora intestinal e falham na inibição do crescimento de outros microrganismos, podendo permitir a proliferação do Clostridium difficile e a elaboração de exotoxina.

O óleo essencial das cascas da canela do Ceilão (Cinnamomum zeylanicum = verum) reforçou a atividade bactericida da clindamicina e diminuiu a concentração inibitória mínima da clindamicina necessária para uma estirpe toxigénica do C. difficile.

Isso mostra uma sinergia do óleo essencial de canela com o antibiótico clindamicina com o aumento de sua eficácia antibiótica. Mais estudos são necessários para o aproveitamento desta descoberta no tratamento da saúde humana.

Autor:Fabian LaszloCientista aromatólogo

Referência: Shahverdi AR et al. Trans-cinnamaldehyde from Cinnamomum zeylanicum bark essential oil reduces the clindamycin resistance of Clostridium difficile in vitro. J Food Sci. 2007 Jan;72(1):S055-8.

Este óleo essencial você encontra aqui

Obs.: A Pria não comercializa medicamentos. As informações aqui presentes são meramente ilustrativas e advindas de fontes referenciadas. Em caso de doença, oriente-se com seu médico.

so_pria

Sua Saúde Natural!

www.pria.com.br

 

SINERGIAS DOS CHAKRAS LASZLO

O conhecimento a cerca dos chakras vem da Índia de um período datado de mais de 10.000 anos atrás. Naquela época era utilizado este conhecimento com a intenção de tratar doenças e através de exercícios de yoga, alcançar a evolução espiritual. Chakras são centros de energia eletromagnética presentes em nosso corpo. A palavra chakra vêm do sânscrito, antiga língua da Índia, e significa roda. Os chakras são formados a partir do contínuo fluxo de energia elétrica que flui pelos plexos nervosos e que estimula as fibras de colágeno (fáscia) nestas áreas a gerar campos eletromagnéticos. As fibras de colágeno são compostas por cristais líquidos de proteínas com propriedades piezelétricas que respondem à eletricidade gerando eletromagnetismo. São de extrema importância para nossa saúde, pois estes campos eletromagnéticos influenciam positivamente no funcionamento de órgãos, glândulas e tecidos em sua proximidade, mantendo a nossa saúde. Quando saudáveis, estes campos pulsam frequências harmônicas. Quando em desequilíbrio, tendem a ocasionar mau funcionamento dos órgãos em sua proximidade e ocasionam doenças.Os chakras podem ser harmonizados e desbloqueados pelo uso de terapias energéticas como o reiki, acupuntura, radiestesia, cristais, massagem, musicaterapia, cromaterapia e aromaterapia.A Laszlo Aromaterapia traz neste kit uma combinação perfeita de óleos essenciais especialmente selecionados para estimular estas áreas do corpo a pulsarem sua energia de forma natural.

Estas sinergias você encontra aqui: Sinergias Chakras Laszlo

VEJA MAIORES INFORMAÇÕES: http://laszlo.ind.br/campanhas/chakras-folder-LASZLO.pdf

Você pode empregar os óleos de alguma das seguintes formas:

1. Pingue três gotas do óleo do chakra que você pretende equilibrar na palma de sua mão. Esfregue uma contra a outra. Depois coloque sua mão no corpo da pessoa na área onde se localiza o chakra a ser harmonizado. Energize com alguma técnica de imposição de mãos como reiki por cerca de 5 minutos. Esta técnica é para utilizar se você for precisar harmonizar somente um chakra.

2. Pingue sobre a região do chakra no corpo da pessoa uma ou duas gotas do óleo e com a ponta dos dedos massageie fazendo movimentos em sentido horário por cerca de 30 a 60 segundos. Limpe a ponta dos seus dedos com álcool ou um pano antes de passar para o chakra seguinte para não misturar os óleos e energias. Esta técnica pode ser empregada para harmonizar um ou todos os chakras em sequência. O tempo total se for fazer nos sete centros de energia será de no máximo 10 minutos.

3. Pingue algumas gotas sobre o local durante a massagem e massageie com a palma das mãos a região por algum tempo. Esta técnica também pode ser empregada para harmonizar um ou mais chakras desde que limpa a mão com um pano ou álcool antes de continuar a sequência para não misturar a energia e aroma de cada óleo. O tempo total pode variar de 10 a 35 minutos.

Você poderá utilizar este kit também para o auto-tratamento, fazendo em seu corpo como descrito anteriormente o uso dos óleos dos chakras.

No caso de tratamento de outras pessoas, esta prática poderá ser feita ao fim da terapia (massoterapia, reiki, acupuntura, etc). Podem ser utilizados os óleos na frente do corpo na área de localização dos chakras, ou atrás na mesma altura em que cada chakra se encontra.Não use nas áreas óleos de chakras diferentes. Isso poderá não trazer os efeitos esperados, contudo necessariamente não causará nenhum dano ao seu campo energético.Associe com outros aromas através de difusor no ambiente e música relaxante. Sob um bom estado de relaxamento os efeitos poderão ser melhores.Não há limite de tempo de uso, podendo ser empregado ao final de tratamentos energéticos sempre que presente algum desequilíbrio. A auto-harmonização dos chakras poderá ser feita diariamente ao longo de um mês uma vez ao dia para um bom resultado, ou de vez em quando se necessário.Não misture todos os óleos ou vários para aumentar efeitos. Isso não acontece e poderá anular a eficácia deles.Se ocorrer alguma reação alérgica lave a área com água ou passe um pano com água retirando o óleo. Estes óleos estão diluídos em óleo de girassol extra-virgem e babaçu com o objetivo de reduzir reações alérgicas. Não empregue em áreas sensíveis como as axilas e área genital, pois poderá ocasionar forte ardência. Se for fazer uso em crianças com menos de 3 anos, para cada gota dos óleos dos chakras, ponha mais uma de óleo de girassol ou algum outro óleo carreador para evitar riscos de ardência pois a pele de crianças pequenas é muito sensível.

Obs.: Este produto não tem nenhum objetivo de tratar ou curar doenças, portanto ele não substitui o aconselhamento e orientações do profissional médico ou terapêuta. Também não deverá ser empregado internamente. Em caso de ingestão tomar muita água.

VEJA MAIORES INFORMAÇÕES: http://laszlo.ind.br/campanhas/chakras-folder-LASZLO.pdf

Obs.: A Pria não comercializa medicamentos. As informações aqui presentes são meramente ilustrativas e advindas de fontes referenciadas. Em caso de doença, oriente-se com seu médico.

so_pria

Sua Saúde Natural!

www.pria.com.br

 

INVESTIGAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUTOS NATURAIS COMO AGENTES TERAPÊUTICOS NOS TRANSTORNOS COMPORTAMENTAIS

Limoneno é um monoterpeno presente em muitos óleos essenciais, principalmente em plantas do gênero Citrus,a exemplo da laranja. Recentes estudos demonstraram a atividade ansiolítica do óleo essencial de Citrusaurantium. (+)-Limoneno é o componente majoritário deste óleo, contudo, não há estudos relatando suacontribuição na atividade ansiolítica. No presente estudo, foi demonstrado que (+)-limoneno e seu enantiômero,(-)-limoneno, apresentam efeito ansiolítico nos modelos experimentais de Campo Aberto e Labirinto em CruzElevado (LCE). No LCE a atividade ansiolítica foi mostrada pelas vias intraperitoneal e inalatória, confirmando acontribuição de (-)-limoneno na atividade ansiolítica de Citrus aurantium. Na investigação de mecanismo deação, demonstrou-se que este monoterpeno não exerce seu efeito farmacológico via receptores GABAA.Link do artigo:http://www.fapitec.se.gov.br/sites/default/files/documentos/joao%20daltro/resumo_expandido_damiao.pdf

**********************************************************

Esta pesquisa foi elaborada com a participação do cientista brasileiro Damião Pergentino de Sousa que estará palestrando no II Congresso Internacional de Aromatologia com a palestra: Aspectos químicos e farmacológicos da biotividade dos óleos essenciais.

Texto por Fabian Laszlo

SAIBA MAIS: http://www.congressoaromatologia.com.br/#!Dr-Damião-Pergentino/c37g/ignp6zau233

II CONGRESSO INTERNACIONAL DE AROMATOLOGIA – 18,19 e 20 de março, 2016 (presencial e online)www.congressoaromatologia.com.br

Obs.: A Laszlo não comercializa medicamentos. As informações aqui presentes são meramente ilustrativas e advindas de fontes referenciadas. Em caso de doença, oriente-se com seu médico.

so_pria

Sua Saúde Natural!www.pria.com.br

 

ÓLEO ESSENCIAL DE GERÂNIO EM FERIDAS DIABÉTICAS DE DIFÍCIL CURA

10390187_765959216808359_8760575926920478520_n

Um estudo publicado no jornal científico Burns, demonstrou grande potencial do óleo essencial de gerânio no tratamento de feridas de difícil cura, especialmente de diabéticos. Em bactérias gram-negativas de difícil resposta com antibióticos, o óleo de gerânio foi altamente eficaz, combatendo estes microorganismos ao mesmo tempo que possui excelente potencial de cicatrização.

O estudo conclui colocando o gerânio como um óleo essencial de eficácia de uso em casos de feridas infeccionadas de difícil cura, principalmente aquelas que envolvem reincidência do problema (ex. feridas diabéticas, escaras, queimaduras, machucados, lesões e outras).

Forma de uso (externa):
Diluir o óleo de gerânio em gel ou creme entre 2-3% (45-65 gotas) em 100g de base. Utilizar de 2-3X ao dia.
Não utilize o óleo puro, pode arder.

Sienkiewicz M1, Poznańska-Kurowska K2, Kaszuba A3, Kowalczyk E4. The antibacterial activity of geranium oil against Gram-negative bacteria isolated from difficult-to-heal wounds. Burns. 2014 Aug;40(5):1046-51. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24290961

Este óleo essencial você encontra na

so_pria
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

ÓLEO DE PATCHOULI COMO IMUNOESTIMULANTE

10873015_762209390516675_2493066612233852153_o

ÓLEO DE PATCHOULI COMO IMUNOESTIMULANTE
Tonifica timo, baço, aumenta a fagocitose e imonoglobulinas

O óleo de patchouli tem demonstrado em estudos recentes ter propriedades imunomodulatórias, anticancerígenas, antialérgicas e antivirais (destrói o vírus da gripe, inclusive o H1N1).

Neste presente estudo, foi observado que o patchoulol, principal componente do óleo de patchouli (25-40%), aumentou a atividade fagocitária de macrófagos, o que é interessante e útil frente a microorganismos invasores (infecções) e tumores.

O patchoulol promoveu aumento do tamanho do timo e baço impedindo a atrofia induzida destes órgãos quimicamente, demonstrando profundo efeito deste óleo essencial como tônico imunológico do timo e baço.

Houve igualmente aumento da quantidade de imunoglobulinas circulantes (IgG e IgM) aumentando a resposta humoral frente a agentes invasores e neutralização de toxinas.

Foi notado também ação inibidora da inflamação por ação sobre a COX-2 com boqueio de prostaglandinas 2 e pela inibição de células imunes associadas a mecanismos inflamatórios pela liberação de citocinas.

Immunomodulatory Potential of Patchouli Alcohol Isolated
from Pogostemon cablin (Blanco) Benth (Lamiaceae) in
Mice. LINK DO ARTIGO: http://www.ajol.info/index.php/tjpr/article/viewFile/93275/82688

O óleo de patchouli pode ser empregado em difusores ambientais (6-12 gotas) visando aumentar a imunidade, em nebulizadores de máscara (3 gotas) para vasos crônicos de imunidade baixa, ou ainda topicamente diluído em gel ou creme de massagem (45 gotas em 100 gramas de creme ou gel).

DICA DE MISTURA IMUNOESTIMULANTE:

– Patchouli dark Laszlo (35-40% patchoulol, ativador da fagocitose) – 20 gotas
– Pimenta rosa ou breu preto (10% aproximadamente de a-felandreno, ativador da fagocitose) – 20 gotas
– Tea tree (35-40% terpinen-4-ol, recrutador de linfócitos) – 20 gotas
– Em base Aloegel Laszlo 100 gramas

Misturar bem e aplicar em massagens corpo todo ou local.
* Não utilizar em pessoas com doenças auto-imunes como lupus devido ao seu efeito imunoestimulatório.

Teor de patchoulol de acordo com cromatografia dos patchoulis da Laszlo:

Patchouli Dark (extraído em destilador de ferro) – 37%
Patchouli light (extraído em destilador de aço) – 25%
Patchouli extra-light (extraído em destilador de aço) – 39%
Patchouli old (reserva-selecionada envelhecido 5 anos) – 36%

texto por Fabian Laszlo

Estes óleos estão disponíveis em:

so_pria
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

 

 

Pare de revirar na cama quando for dormir! Durma mais rápido com essa receita.

sleep

 

Se você gosta de um lanchinho da noite, escolher alimentos que te acalmam e evitar aqueles que te mantêm acordado, lhe ajudará a ter uma boa noite de sono. O que deve ser evitado são lanches doces que criam picos de açúcar e isso é o oposto do que você precisa nessa hora do dia.

Aqui vai a receita de um cocktail com ingredientes potentes que lhe ajudarão na sonolência de diversas maneiras. O Cálcio do leite tem um efeito calmante no sistema nervoso central e a lactose libera endorfinas. Ele também é rico no amino ácido triptofano que é transformado pelo corpo em serotonina, um neurotransmissor que (além de outras coisas) regula o relógio interno. A camomila e valeriana são ervas relaxantes. A camomila acalma o sistema nervoso central. A valeriana tem a ação extra de ser um relaxante muscular.

Cocktail Boa Noite

Ingredientes

1 1/2 (xícara) de leite orgânico ou leite de coco ou leite de amêndoas
1 saquinho de chá de camomila
2 (colheres de chá) de cacau em pó (não usar chocolate em pó, mas o cacau puro)
20 gotas de tintura de valeriana ou 5 gotas de óleo essencial de valeriana

Como fazer

1. Aqueça o leite, adicione o saquinho de chá e deixe infuso por 8–10 minutos, para fazer um leite infuso de camomila.

2. Coloque o cacau em pó numa caneca e mixture com um poquinho de água para gazer uma pasta espessa.

3. Adicione a valeriana na caneca e despeje por cima o leite de camomila, misturando tudo muito bem .

4. Beba 10 minutos antes de ir para a cama.

Fonte: Organic Health

Agora algumas observações minhas. Ultimamente tenho recebido inúmeras queixas de pessoas que não dormem bem, acordam durante a noite, têm insônia. Enfim, relaxar parece ser um problema generalizado. Eu mesma já passei por fazer assim.

Então vão algumas considerações a ser observadas:

A insônia começa ao longo do dia e se manifesta à noite. Ter um dia absurdamente estressado e esperar um noite de sono feliz parece ser incongruente. Assim, mesmo que seu trabalho seja estressante, faça pequenas pausas para relaxar. A pausa pode ser pequena mesmo como uns 10 min. Mas leve esta pausa a sério. Parar por 10 min e ficar esse período com a mente elouquecida com os problemas, é o mesmo que não parar.

Para ajudar, use uma sinergia de óleos essenciais de camomila romana, espruce e lavanda. Aplique esta sinergia nos pulsos e na nuca. Essa sinergia é bastante relaxante e ajuda a desascelerar um pouco.

Ao longo do dia tome bebidas que sejam vasodilatadoras. Quando o calibre das veias aumenta, a pressão arterial cai e isso ajuda a relaxar.

Antes do dormir evite atividades que deixem agitado. Sabe quando a gente evita brincar com os bebês à noite para que eles não fiquem agitados antes de dormir? Pois é, isso vale para os adultos também. Perto da hora do sono mude completamente o rítmo, como se fosse uma ritual pré-sono. Converse de forma mais suave, não ouça músicas altas e agitadas. Fale em um tom mais baixo. Ler livros e outras atividades tranquilas também ajudam o cérebro a mudar o foco e ir se preparando para relaxar.

Pode parecer incrível mas algumas pessoas antigamente descansavam antes de dormir. Uma vez estávamos na casa de um amigo e a avó dele foi deitar durante a tarde (ela tirava uma soneca todas as tardes). A porta estava aberta e eu vi que ela estava deitada mas não estava dormindo. Falei isso para o amigo, que a avó dele só estava deitada. Para minha surpresa ele disse que ela descansava antes do dormir. Achei aquilo tão incrível e sem sentido que fui saber mais. Assim descobri que várias pessoas têm esse hábito de simplesmente deitar por um tempo sem o compromisso do sono, apenas descansando antes de dormir. É claro que quis testar a teoria e um dia fui descansar antes de dormir. Como a minha mente estava agitada, fiquei ali deitada tentando relaxar, contando números, prestando a atenção na minha respiração… essas coisas. De repente eu tinha dormido! Foi bem surpreendente o resultado. Assim, descobri que somente ir se deitar no momento em que se quer dormir, não é uma boa idéia. O melhor mesmo é se deitar um pouco antes para ir se desconectando das atividades do dia. Fica aí a dica: descanse antes do sono.

Outros detalhes: telas azuis como televisão, computador, tablet, etc são inimigas do sono. Melhor um livro.

Luz acesa pode não te atrapalhar a pegar no sono mas te atrapalha ao longo do sono não permitindo um descanso profundo (além de atrapalhar a produção de melatonina). Melhor um quarto escuro.

Usar aquela sinergia de camomila, espruce e lavanda quando se deitar é muito relaxante. pingue algumas gotas no travesseiro, passe nos pulsos e, caso tenha alguém para te ajudar, passe ao longo da coluna até ser absorvido pela pele.

Bom, é isso. Ficam aí minhas dicas e essa receita. Deixe seu comentário contando como foi a experiência para você.

Beijos a todos!

http://www.pria.com.br

Curcumina. Importante componente do açafrão-da-terra impede que o flúor destrua seu cérebro

Turmeric-Root-and-Powder-1024x666

Conhecido por muitos nomes, açafrão-da-terra, cúrcumã e turmérico, esse incrível tempero tem um componente muitíssimo valioso: a curcumina!

Na Laszlo o encontramos no absoluto de turmérico e tb na minha sinergia favorita: o Oxyclean.

Leia no texto mais uma das incríveis ações que a curcumina faz em nosso organismo.

flúor é hoje encontrado em toda parte, desde antibióticos à água potável,  panelas antiaderentes, pasta de dente, tornando a exposição a esta substância tóxica inevitável. Mais uma razão para que a nova pesquisa comprovando que este tempero comum pode evitar danos do flúor seja tão promissora!

A neurotoxicidade do flúor tem sido objeto de debate acadêmico durante décadas, e agora é uma questão de controvérsia cada vez mais exaltada entre o público em geral também. Desde “teorias da conspiração” sobre ele ter sido usado pela primeira vez em água potável em campos de concentração russos e nazistas à lobotomia química em prisioneiros, de suas agora bem conhecidas propriedades de diminuir o QI, à sua capacidade de aumentar a  calcificação da glândula pineal  – o tradicional “assento da alma”- muitos ao redor do mundo, e cada vez mais nas regiões fortemente fluoretadas dos Estados Unidos, estão começando a se organizar em nível local e estadual  para derrubar este onipresente tóxico da água potável.

Agora, um novo estudo publicado na Pharmacognosy Magazine, intitulado “A curcumina atenua a neurotoxicidade induzida pelo flúor: Uma evidência in vivo“, adiciona suporte experimental para a suspeita de que o flúor é na verdade uma substância prejudicial ao cérebro, revelando ainda que um agente natural  derivado do Curry, o tempero natural, protege contra os vários efeitos danosos sobre a saúde associados com este composto tóxico.

O estudo é de autoria de pesquisadores do Departamento de Zoologia da Universidade College of Science, ML Sukhadia University, Udaipur, na Índia, que passaram a última década investigando os mecanismos pelos quais o flúor induz mudanças neurodegenerativas graves no cérebro de mamíferos, particularmente em células de hipocampo e córtex cerebral . [i]  [ii]

O estudo começa por descrever o cenário histórico sobre a preocupação com a toxicidade significativa e abrangente do flúor:

O flúor (F) é provavelmente o primeiro íon inorgânico que chamou a atenção do mundo científico por seus efeitos tóxicos e agora a toxicidade do Flúor através da água potável é bem reconhecida como um problema global. Os relatórios do efeito sobre a saúde em matéria de exposição ao flúor também incluem vários tipos de câncer, atividades reprodutivas adversas, cardiovasculares e doenças neurológicas. [1,2] ”

Unknown

O estudo focou na neurotoxicidade induzida pelo flúor, identificando a excitoxicidade (estimulação do neurônio ao ponto de morte) e o estresse oxidativo como os dois principais fatores de neurodegeneração (degeneração dos neurônios). Tem sido observado que os pacientes com a condição conhecida como fluorose, manchas no esmalte dos dentes causadas por exposição excessiva ao flúor durante o desenvolvimento dos dentes, têm também mudanças neurodegenerativas associadas com uma forma de estresse oxidativo conhecido como peroxidação lipídica (rancidez). O excesso de peroxidação lipídica no cérebro pode levar a uma diminuição no conteúdo total de fosfolípido no cérebro. Devido a estes mecanismos conhecidos do fluoreto associado à neurotoxicidade e neurodegeneração, os pesquisadores identificaram o polifenol primário na especiaria cúrcuma (usado no Curry) – conhecido como curcumina – como um agente ideal que vale a pena ser testado como uma substância neuroprotetora. As pesquisas anteriores sobre a curcumina indicam que ele é capaz de se ativar como um antioxidante em três formas distintas pela proteção contra: 1) o oxigênio singlete 2) radicais hidroxila e 3) os danos dos radicais superóxidos. Além disso, a curcumina parece aumentar a produção de glutationa endógena no cérebro, um importante sistema de defesa antioxidante.

A fim de avaliar os efeitos neurotóxicos do flúor e provar o papel protetor da curcumina contra ela, os pesquisadores dividiram aleatoriamente os ratos em quatro grupos, por 30 dias:

1 – Controle (sem flúor)

2 – Flúor (120 ppm): o flúor foi dado na água de destilada e água potável, sem restrições.

3 – Flúor (120 ppm/30 mg/kg de peso corporal) + curcumina: uma dose oral de curcumina dissolvida em azeite junto com fluoreto na água potável

4 – Curcumina: (30 mg/kg de peso corporal)

A fim de determinar o efeito do tratamento, os pesquisadores mediram o teor de malondialdeído (MDA) nos cérebros dos diferentes ratos tratados. O MDA é um marcador bem conhecido do dano do stress/dano oxidativo.

Como era de esperar, o flúor (F) como único tratamento de grupo apresentou significativamente elevados níveis de MDA contra o grupo de controle tratado sem flúor. O grupo flúor + curcumina compreendeu níveis reduzidos de MDA comparado com o grupo que recebeu apenas flúor, demonstrando atividade neuroprotetora da curcumina contra a neurotoxicidade associada ao flúor.

O estudo concluiu que:

Nosso estudo, portanto, demonstra que a dose única diária de 120 ppm de flúor resulta em aumentos muito significativos no POT [peroxidação lipídica, ou seja, a rancidez do cérebro], bem como alterações neurodegenerativas em neurônios de regiões selecionadas do hipocampoA suplementação com curcumina reduz significativamente o efeito tóxico do flúor para perto do nível normal, aumentando a defesa antioxidante através da sua propriedade depuradora e proporcionando uma evidência de ter função terapêutica contra a neurodegeneração do stress oxidativo medido“.

Discussão

Isto está longe de ser o primeiro estudo a demonstrar as notáveis ​​propriedades de preservação cerebral da curcumina. Do ponto de vista da pesquisa primária isolada, há  mais de duzentos trabalhos de revisão por pares publicados, indicando que a curcumina é um agente neuroprotetor. Em nosso próprio banco de dados sobre a cúrcuma, temos 115 artigos que provam essa afirmação: a cúrcuma protege o cérebro. Temos também exposto estudos sobre a capacidade da cúrcuma em proteger e restaurar o cérebro:

Como cúrcuma pode salvar o envelhecimento cerebral da demência e morte prematura (inglês)

Cúrcuma Produz ‘notável’ recuperação em pacientes de Alzheimer (inglês)

Considerando os muitos insultos químicos que enfrentamos diariamente no mundo pós-industrial, a cúrcuma pode muito bem ser a erva mais importante do mundo, com mais de 600 aplicações na saúde baseadas em evidências.

Referências:

[I]  Bhatnagar M, P Rao, Saxena A, Bhatnagar R, Meena P, Barbar S. As mudanças  bioquímicas no cérebro e outros tecidos de ratos adultos jovens do sexo feminino a partir do flúor na sua água potável. Flúor. 2006; 39: 280-4. [lista de Ref]

[Ii]  Bhatnagar M, Sukhwal P, Suhalka P, Jain A, C Joshi, Sharma D. Os efeitos de flúor na água potável sobre os neurônios diaforase NADPH na parte frontal do cérebro de camundongos: Um possível mecanismo de neurotoxicidade do flúor. Flúor. 2011; 44: 195-9. [lista de Ref]

Fontes:

– The Mind Unleashed: The Spice That Prevents Fluoride From Destroying Your Brain
– [ESTUDO] NCBI: Curcumin attenuates neurotoxicity induced by fluoride: An in vivo evidence
– GreenMedInfo: How Turmeric Can Save the Aging Brain From Dementia and Premature Death
– GreenMedInfo: Turmeric Produces ‘Remarkable’ Recovery in Alzheimer’s Patients

Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com/2014/11/curcumina-curry-o-tempero-que-impede-que-o-fluor-destrua-o-seu-cerebro/#ixzz3In8AZrFs

PRIA

Sua Saúde Natural!

INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS DE ALGUNS FITOTERÁPICOS UTILIZADOS NO BRASIL 

10285818_711498472254434_3300007042115624229_o

As plantas medicinais vêm sendo utilizadas com finalidades
terapêuticas há milhares de anos. Seu uso popular foi propagado de geração em geração e descrito nas diversas farmacopéias. A partir do desenvolvimento da química orgânica, tornou-se possível obter substâncias puras através do isolamento de princípios ativos de plantas, entre elas, a digoxina e a morfina, resultando em desinteresse pela pesquisa de substâncias de origem vegetal.

Entretanto, a partir da década de 1980, foram desenvolvidos novos métodos de isolamento de substâncias ativas, tornando-se possível identificar substâncias em amostras complexas como os extratos vegetais, ressurgindo o interesse por compostos de origem vegetal que pudessem ser utilizados como protótipos para o desenvolvimento de novos fármacos. Atualmente, apesar da crescente importância dos medicamentos fitoterápicos, relativamente poucos estudos foram realizados a fim de comprovar sua eficácia e segurança, sendo que muitas plantas ainda são utilizadas com base somente no seu uso popular bem estabelecido. O objetivo deste trabalho foi avaliar, junto aos principais bancos de dados e fontes públicas de informação, a disponibilidade de dados de toxicidade pré-clínica de dez plantas medicinais comercializadas na forma de medicamentos fitoterápicos no Brasil,. Observou-se que há poucos dados sobre a toxicidade pré-clínica das dez plantas pesquisadas, mas, de maneira geral, os experimentos em animais demonstraram baixa toxicidade aguda, subaguda e crônica e não mostraram atividades mutagênicas ou teratogênicas.

LINK: http://www.scielo.br/pdf/rbcf/v42n2/a15v42n2.pdf

Reblogado de Fabian Laszlo

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br