TRATE COLESTEROL, ATEROESCLEROSE E FÍGADO GORDUROSO COM ÓLEO ESSENCIAL DE LIMÃO E DE CÍTRICOS

10371390_690501987687416_8387479626493644290_n

Textos: Fabian Laszlo

Estudos sugerem que o limoneno dos óleos essenciais cítricos, quando utilizado como suplemento alimentar, pode contribuir na melhora da esteatose hepática (fígado gorduroso)1,5, combater a obesidade1, abaixar o colesterol e triglicérides elevados1,8,9,10,11, controlar a hiperglicemia1, além de prevenir a oxidação do colesterol tratando da ateroesclerose2,3,8.

O limoneno age inibindo moderadamente no fígado a enzima HMG-CoA redutase que participa da síntese do colesterol1,8. Ao inibir a HMG-CoA ele bloqueia a conversão do latosterol em colesterol11. Medicamentos chamados de estatinas também agem abaixando o colesterol pela inibição da HMG-CoA.

Contudo, o limoneno não desencadeia em quem o usa os efeitos colaterais das estatinas por não inibir fortemente a HMG-CoA (1% na dieta reduz 55% da sua atividade10). Fora isso, ele age estimulando enzimas antioxidantes (GPx) que protegem os neurônios13,14,15 dos efeitos colaterais das estatinas16. O limoneno consegue ter seu efeito final no controle lipídico através de outras vias complementares, como a ativação de re-ceptores PPARa e inibição do receptor X do fígado (LXR)-ß, ações que agem aumentando o bom colesterol HDL e abaixando o ruim LDL1. A inibição do LXR-b também interfere diminuindo o acúmulo de gordura no fígado, previne a ateroesclerose, reduz da liberação de mediadores de inflamação, melhora a tolerância para a glicose, além de suprimir a proliferação de variados tipos de câncer4, o que explica o potencial uso de óleos cítricos no tratamento de todas estas doenças7.

No caso específico da ateroesclerose, o componente mais ativo na inibição da oxidação do colesterol foi o g-terpineno, molécula esta que somente encontramos em quantidades terapeuticamente eficazes (7-10%) no óleo de limão e lima2,3.

Constam informações errôneas em livros de aromaterapia de que óleos cítricos sejam prejudiciais aos rins. Este mito foi destruído por estudos científicos6,7 que provaram serem os óleos cítricos (ricos em limoneno) muito seguros e não tóxicos para ingestão humana por período prolongado7.

A seguir são citados dois relatos populares sobre o uso de óleos cítricos como suplemento alimentar e seu efeito no colesterol. O interessante é que no relato 1, a pessoa utilizou uma dose muito pequena, abaixo da usualmente empregada, tendo notado, ainda assim, resultados muito positivos. É importante citar que tais recursos (OE cítricos) já vem sendo empregados há décadas por médicos franceses no tratamento destas condições com sucesso12 e são recursos fitoterapeuticos econômicos passíveis de implementação no SUS.
.

Relato 1 – Celia Regina Kodama (2013)

Farei o relato do benefício do uso do óleo de limão siciliano. Há pelo menos 3 anos, estava sofrendo de gordura no fígado, digo sofrendo porque não obtive tratamento que conseguisse fazer “sumir” a gordura, existe a melhoria, mas com aparecimento de outras doenças. Tomei diversos medicamentos, muitas restrições alimentares, muita caminhada e exercícios. Tinha deixado o tratamento da gordura no fígado para tratar de uma queda na imunidade, comecei a ter infecção urinária, resfriados e gripes constantes mesmo vacinada, entre outras. Durante o tratamento para melhorar a imunidade, tive alteração no colesterol e triglicérides (altos) e até glicose na urina não estava conseguindo controlar, ficavam cada vez mais altos mesmo só testando os medicamentos. Em março/ 2013 comecei a tomar o óleo de limão 1 gota apenas à noite com chá de camomila/erva-doce até maio/2013.
Em julho/2013 resolvi fazer um check up geral (ecocardiograma, holter 24 hs, ultrassonografias, mamografias, exame de sangue e urina), enfim uma surpresa para o médico. O colesterol e triglicérides haviam baixado chegando quase a níveis normais, sem glicose na urina e na ultrassonografia do fígado pela 1ª vez “SEM GORDURA” – INACREDITÁVEL!!!
Contei ao médico que tinha tomado o óleo de limão, ele disse que acreditava no benefício do limão porque já teve pacientes que passaram a tomar o suco de limão de manhã em jejum e tiveram resultados positivos.
Sandra, ganhei em tudo com o benefício do óleo de limão. Espero contribuir com o meu relato para as pessoas que sofrem com os males do fígado, principalmente. Abraços.

Célia foi acompanhada pela aromaterapeuta Sandra C. Silva do espaço Atmam (atmam@terra.com.br – www.atmam.com – tel: 011 5572-2660 / 5081-5681)

Relato 2 – Milton Moreira (2006)

Meu pai, Sr. Milton Moreira, residente na cidade de Coronel Fabriciano, vinha tendo um problema cardíaco que iniciou-se a aproximadamente 4 anos atrás e que teria se agravando nos últimos tempos, culminando em dois enfartos. Além disso, por fumar muito, também teve enfisema pulmonar. Com isso, passamos uma fase muito difícil, pois nossa vida era uma verdadeira maratona em hospitais.
Seu coração e pulmões ficaram muito inchados e um comprimia o outro causando fortes dores no peito, falta de ar e intenso cansaço. Meu pai sempre foi uma pessoa muito ativa pois era garimpeiro e este problema lhe começou a limitar muito. Fez acompanhamento e vários exames médicos, o diagnóstico foi de aterosclerose com forte entupimento das veias: seu coração só tinha 20% de capacidade de funcionamento. Ele foi orientado pelos médicos a ter um ritmo de vida restrito, além de ter sido descartada a possibilidade de qualquer tipo de cirurgia dada a gravidade do problema. Nem o cateterismo pôde fazer e teve um desmaio no exame de resistência na esteira do hospital.
Comecei a fazer um curso de aromaterapia onde ouvi o professor falar das maravilhas que o óleo de limão fazia para o sistema circulatório. Então levei um vidro e dei para o meu pai usar. Com cerca de 10 dias de uso começou a ter melhoras visíveis em seu estado físico. Primeiro o seu cansaço começou a desaparecer, seguidamente foram embora as dores no peito. Seu coração e pulmões desincharam, o que foi avaliado por um médico do Hospital Siderúrgica em Coronel Fabriciano. Clinicamente sua melhora não tinha uma resposta por parte dos médicos, pois num estado tão agravado melhorar tão bruscamente seria impossível. Além disso, os medicamentos alopáticos que já vinha fazendo uso desde o início do problema (há 4 anos atrás) não apresentaram resultados satisfatórios em todo este tempo e o quadro só ia piorando.
Meu pai usou uma dosagem do OE de limão nos três primeiros meses de 5 gotas 3x ao dia numa colher de sopa de água. Depois diminuiu a dose para 3 gotas 3 vezes ao dia nos meses seguintes. Ao final dos três primeiros meses, a maioria de suas artérias tinham sido desobstruídas pelo efeito solvente do limão. Coisas que meu pai nem sonhava fazer, como andar a cavalo ou fazer ginástica, voltaram novamente a fazer parte de seu ritmo de vida. Hoje, já faz quase um ano que meu pai começou a usar o óleo. Ficou tão feliz com a melhora, considerada impossível pelos médicos, que passou a indicar para várias pessoas em sua cidade o óleo essencial de limão. Estas pessoas que tem feito o uso, com doenças as mais variadas como gastrite, problemas cardíacos e circulatórios, cansaço e outros, também tem conseguido excelentes resultados. Meu pai acabou virando divulgador do óleo essencial de limão, que conseguiu fazer milagres em sua vida.

Landy é filha do Sr. Milton, aromaterapeuta e possui uma loja de produtos naturais na Feira dos Produtores de BH/MG (Av. Cristiano Machado, 1896 box 31 – Bairro Cidade Nova)

Estes óleos essenciais você encontra na

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

 

 Referências: 1. Jing L, et al.Preventive and ameliorating effects of citrus d-limonene on dyslipidemia and hyperglycemia in mice with high-fat diet-induced obesity. Eur J Pharmacol. 2013 Sep 5;715(1-3):46-55. / 2. Takahashi Y et al. Antioxidative effect of citrus essential oil components on human low-density lipoprotein in vitro. Biosci Biotechnol Biochem. 2003 Jan;67(1):195-7. / 3. Grassmann J, et al.Antioxidative effects of lemon oil and its components on copper induced oxidation of low density lipoprotein. Arzneimittelforschung. 2001 Oct;51(10):799-805. / 4. Referências científicas em http://en.wikipedia.org/wiki/Liver_X_receptor (vistado em 10/01/2013) / 5. Ariyoshi T, et al. Studies on the metabolism of d-Limonene (p-Mentha-1,8-diene). III. Effects of d-Limonene on the lipids and drug-metabolizing enzymes in rat livers. Xenobiotica. 1975 Jan;5(1):33-8. / 6. Webb DR, et al.Assessment of the subchronic oral toxicity of d-limonene in dogs. Food Chem Toxicol. 1990 Oct;28(10):669-75. / 7. Sun J. D-Limonene: safety and clinical applications. Altern Med Rev. 2007 Sep;12(3):259-64. / 8. Ahmad S, Beg ZH. Hypolipidemic and antioxidant activities of thymoquinone and limonene in atherogenic suspension fed rats. Food Chem. 2013 Jun 1;138(2-3):1116-24. / 9. Costa CA, et al.Citrus aurantium L. essential oil exhibits anxiolytic-like activity mediated by 5-HT(1A)-receptors and reduces cholesterol after repeated oral treatment. BMC Complement Altern Med. 2013 Feb 23;13:42. / 10. Qureshi, A.A., et al. Inhibition of hepatic mevalonate biosynthesis by the monoterpene, d-limonene. J. Agri. Food Chem. 1988, 36: 1220-1224. / 11. Clegg, R. J., et al. Inhibition of hepatic cholesterol synthesis and S-3-hydroxy-3-methylglutaryl-CoA reductase by mono and bicyclic monoterpenes administered in vivo. Biochem Pharmacol. 1980 Aug 1;29(15):2125-7. / 12. Duraffourd e Lapraz.Traité de phytothérapie clinique. Editions Masson (June 27, 2002) / 13. Shinomiya M, et al. Neurite outgrowth of PC12 mutant cells induced by orange oil and d-limonene via the p38 MAPK pathway. Acta Med Okayama. 2012;66(2):111-8. / 14. Corasaniti MT, et al. Cell signaling pathways in the mechanisms of neuroprotection afforded by bergamot essential oil against NMDA-induced cell death in vitro. Br J Pharmacol. 2007 Jun;151(4):518-29. / 15. Campêlo LM, et al. Antioxidant activity of Citrus limon essential oil in mouse hippocampus. Pharm Biol. 2011 Jul;49(7):709-15. / 16. R. Kraft, A. Kahn, et al. A cell-based fascin bioassay identifies compounds with potential anti-metastasis or cognition-enhancing functions. Disease Models & Mechanisms, 2012; 6 (1): 217
Anúncios

O valor do suco de laranja

10492513_658402340897381_408119195745095954_n

A ingestão de suco de laranja mostrou maiores benefícios que a limonada para evitar a formação de cálculos renais

Um copo de suco de laranja ingerido diariamente pode prevenir a recorrência de cálculos renais de maneira mais efetiva que o uso de limonada ou outros sucos de frutas cítricas, relatam pesquisadores da UT Southwestern Medical Center.

O achado indica que embora muitas pessoas achem que sucos de frutas cítricas ajudem a prevenir a formação de cálculos renais, nem todos têm o mesmo efeito. Este estudo foi publicado no Clinical Journal of the American Society of Nephrology.

O manejo da recorrência de cálculos renais exige mudanças na dieta e no estilo de vida assim como tratamento farmacológico como o uso de citrato de potássio, o qual reduz a formação de pedras em pacientes com história pregressa de pedras nos rins.

Mas alguns pacientes não podem tolerar os efeitos colaterais gastrointestinais do citrato de potássio. Nestes casos, está recomendado incluir na dieta alimentos fonte de citrato, como o suco de laranja, por ser considerado uma alternativa ao tratamento farmacológico.

Todos os sucos cítricos contêm citrato. Os pesquisadores compararam o suco de laranja e a limonada e acharam que os componentes que acompanham o citrato podem altrerar a efetividade do suco em diminuir o risco de desenvolver novos cálculos renais.
Treze voluntários – alguns com história de cálculos outros não – participaram do estudo de 3 fases, cada uma durou uma semana com intervalo de 3 semanas entre elas. Em cada fase os 13 voluntários tomaram cerca de 350 ml de suco de laranja, limonada ou água três vezes ao dia. Eles também mantiveram uma dieta pobre em cálcio e oxalato. Amostras de sangue e urina foram colhidas durante cada fase. Os níveis de citrato na urina foram maiores na fase de ingestão do suco de laranja, assim como foi reduzida a cristalização de ácido úrico e oxalato de cálcio nesta fase. A limonada não elevou o níveis de citrato, um importante inibidor de formação de cálculos.

Fonte: University of Texas Southwestern Medical Center
http://www.utsouthwestern.edu/home/news/index.html
NEWS.MED.BR, 2006. A ingestão de suco de laranja mostrou maiores benefícios que a limonada para evitar a formação de cálculos renais. Disponível em: http://www.news.med.br/p/medical-journal/1874/a-ingestao-de-suco-de-laranja-mostrou-maiores-beneficios-que-a-limonada-para-evitar-a-formacao-de-calculos-renais.htm. Acesso em: 15 jul. 2014.

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br