ESTUDO MOSTRA QUE O CONSUMO DE REFRIGERANTE ACELERA O PROCESSO DE ENVELHECIMENTO ENCURTANDO TELÔMEROS

Segundo a pesquisa, publicada no ‘American Journal of Public Health’, as pessoas que bebem refrigerante com frequência têm menos telômeros (pedaços de DNA que protegem as pontas dos cromossomos) nos glóbulos brancos.

Segundo a publicação, os telômeros afetados são diretamente relacionados com a ocorrência de doenças relacionadas a idade, como câncer, diabetes e problemas cardíacos. O efeito seria similar ao causado pelo cigarro ou pelo sedentarismo no organismo humano. Além disso, os pesquisadores calcularam que beber 500 ml de refrigerante diariamente resulta em um envelhecimento de 4,6 anos na idade biológica.

“O consumo regular de refrigerantes adocicados pode influenciar o desenvolvimento de doenças, não apenas por impactar negativamente o metabolismo, mas por acelerar o envelhecimento das células”, disse Elissa Epel, professora da Universidade da Califórnia e principal autora do estudo.

Os resultados foram semelhantes em todos os pacientes testados, independentemente de idade, raça, renda ou nível de instrução.

Fonte:
http://longidade.blogspot.com.br/2014/10/estuda-mostra-que-o-consumo-de.html
http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/2014/10/beber-refrigerante-pode-destruir-dna-diz-estudo.shtml

Estudo original: Soda and Cell Aging: Associations Between Sugar-Sweetened Beverage Consumption and Leukocyte Telomere Length in Healthy Adults From the National Health and Nutrition Examination Surveys – http://ajph.aphapublications.org/doi/abs/10.2105/AJPH.2014.302151?journalCode=ajph&
so_pria

Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

SOPA DE ABÓBORA COM ÓLEO DE PATCHOULI

10873642_760898427314438_4179549948930722078_o

O patchouli, é usado frequentemente em sabonetes e cosméticos que tem as propriedades de rejuvenescer peles secas e envelhecidas, e também funciona como um desodorante, pois consegue mascarar o odor do suor. Ambos o óleo e as folhas são usados em conjunto, pois as folhas adicionam uma textura e fragrâncias únicas para a mistura. Esse óleo é conhecido por ter ativos fixadores e acredita-se que suas propriedades olfativas e terapêuticas melhoram com o envelhecimento do óleo, assim como um bom vinho. O Patchouli é pouco usado como erva medicinal, pois seu uso pode causar perda de apetite, do sono e até causar “ataques nervosos”. Mas, no entanto, algumas culturas orientais estimam muito o patchouli como um grande profilático.

Os Aromaterapeutas consideram o patchouli também como um afrodisíaco, baseado nas crenças de que o aroma do mesmo estimula as glândulas pituitárias a liberarem endorfina, um hormônio que alivia a dor, estimula a euforia e também o desejo sexual. Patchouli é recomendado para uso externo em tratamento de ansiedade em doses bem pequenas, pois em excesso tem efeito sedativo. Na indústria e na culinária, o patchouli também tem aplicações. As folhas frescas de P. cablin são usadas como tempero e as folhas secas de P. heyneanus (A espécie menos aromática entre as duas) são usadas para dar sabor a uma bebida alcoólica. O óleo extraído de P. cablin dá sabor a gomas de mascar, produtos assados e doces, enquanto o óleo de P. heyneanus é usado na composição de tinta indiana.

Sopa de Abóbora com Patchouli

Essa receita única e maravilhosa é a preferida e vai dar o que falar em suas festas de Outono e Halloween. Saboreie essa delícia tradicional com um toque essencial.

Ingredientes:

½ Abóbora-menina grande, descascada e cortada em cubos. (Aprox. 2 xícaras)
1 Copo de purê de abóbora (250mL)
3 tabletes de caldo caldo Knorr (legumes, frango ou outro)
½ Xícara de creme de leite
2 Colheres de sopa de Manteiga sem sal
2 Colheres de sopa de Azeite de oliva extra virgem
1 Cebola grande picada bem fininha
12 Gotas de Óleo Essencial de Patchouli
1 Pitada de Noz Moscada
Sal grosso para temperar a gosto

Modo de Preparo:

Derreta a manteiga no azeite em uma panela grande em fogo médio-alto.
Adicione as cebolas e mexa a frigideira sobre o fogo até dourar por cerca de 3 a 5 minutos.
Adicione a abóbora picada e mexa com uma colher até que todos os pedaços estejam misturados ao óleo.
Coloque o caldo knorr e logo em seguida adicione o purê de abóbora e mexa bem.
Cubra com água e tampe a panela.
Deixe cozinhar por 20 minutos, até a abóbora ficar bem macia.
Após cozinhar, bata a sopa no liquidificador ou em um processador, até que fique uniforme. Tome cuidado, pois a sopa fica muito quente.
Após misturar a sopa no liquidificador, coloque-a em uma panela passando por um coador. (Coadores grandes de aço inox são a melhor opção)
Leve de volta ao fogo médio, adicione o creme de leite, sal e a noz moscada.
Logo antes de servir, adicione as gotas de Patchouli. (Atenção, adicione as gotas aos poucos e vá testando para o sabor ficar agradável ao seu paladar. Quantidades menores de gotas podem ser o suficientes).
Mexa até misturar bem, então sirva!

Delicie-se e se surpreenda com essa delícia da estação!

RECEITA DO SITE: http://www.peacefulmind.com/October%20Herb%20of%20the%20Month%20Patchouli.pdf

Este óleo está disponível em:

so_pria
Natural é Estar Bem!
www.pria.com.br

OS NEURÔNIOS CANIBAIS

1910142_699807960090152_2080738223727956716_n
Passar fome não é boa ideia para quem quer emagrecer. Pesquisadores do Albert Einstein College Medicine (EUA) descobriram que a privação de alimento leva os neurônios ligados ao controle do apetite a devorar células semelhantes para obter as substâncias de que necessitam. O processo ocorre no hipotálamo, estrutura cerebral que regula as sensações de fome e saciedade. Por mecanismos complexos e agora explicados por um estudo feito em animais, o processo leva à liberação de ácidos graxos que estavam guardados no interior das células canibalizadas. “Isso aumenta ainda mais a fome”, afirmou Rajat Singh, autor do estudo, publicado na edição deste mês da revista “Cell Metabolism”.

LINK DO ARTIGO: http://download.cell.com/cell-metabolism/pdf/PIIS1550413111002579.pdf?intermediate=true

Outros links:
http://blogs.discovermagazine.com/80beats/2011/08/04/dieting-starves-your-brain-cells-turning-neurons-into-self-cannibals/#.VDK3OfldU00
http://brainstudy.wordpress.com/2011/08/22/cannibal-neurons/

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

ARTEMÍSIA: A NOVA ARMA CONTRA O CÂNCER?!

10676139_689130107824604_3906055421603400115_n

Texto de Fabian Laszlo

Cientistas descobriram que o componente artemisina da Artemisia annua, usado tradicionalmente no tratamento da malária, possui potente ação anticancerígena.
Em um estudo foi observada capacidade da artemisina matar 98% de células cancerígenas pulmonares em menos de 16 horas! Este efeito é alcançado pela associação da erva com ferro, justamente o motivo do parasita da malária morrer, pois ele é rico em ferro.

“In general, our results show that artemisinin stops ‘E2F1′ transcription factor and intervenes in destruction of lung cancer cells, meaning it presents a transcription way according to which artemisinin controls reproductive cancer cell growth”

Para ler mais ou assistir o vídeo a respeito acesse:

http://www.healthyfoodhouse.com/amazing-herb-kills-cancer-cells-in-just-16-hours/

http://www.whydontyoutrythis.com/2014/01/amazing-herb-kills-98-cancer-cells-just-16-hours.html

http://www.infiniteunknown.net/2014/07/06/artemisia-annua-amazing-herb-kills-98-of-cancer-cells-in-just-16-hours/

http://www.bioportfolio.com/resources/pmarticle/77537/Iron-enhances-generation-of-free-radicals-by-Artemisinin-causing-a-caspase-independent.html

A artemísia você encontra na Pria!
Sua saúde Natural!
www.pria.com.br

Alho Negro Caseiro – Como fazer?

Reblogando de http://www.tampopogourmet.com.br/2012/05/alho-negro-caseiro-como-fazer.html
Desde que conheci o alho negro, coloquei na cabeça que iria dar um jeito de fazê-lo em casa.

Sabia que o alho deveria sofrer um longo processo de maturação, com temperatura (cerca de 60ºC) e umidade controladas.

Não sei como é o processo industrial do alho negro, mas o caseiro ficou bem parecido, embora um pouco mais úmido. Além disso, o meu também não passou por pasteurização, processo importante em produtos industrializados.

Depois de alguns dias na geladeira, o sabor do alho ficou praticamente idêntico aos que eu já havia comprado.

A pedidos, vou explicar o modo como fiz. Quem tiver interesse, pode pegar a essência do processo e tentar adaptar aos utensílios disponíveis em casa.

aDSC_0931

UTENSÍLIOS:
Panela elétrica de fazer arroz (capacidade de 10 copos)
Suporte com aproximadamente 20cm de diâmetro e 15cm de altura
Fita isolante
Papel Alumínio
Papel Manteiga

INGREDIENTES:
20 cabeças de alho comum de boa qualidade

MODO DE FAZER:

Cobrir a panela de arroz com 4 faixas de papel alumínio, distribuídas de forma a cobrir todos os lados internos do recipiente da panela de arroz. É importante que as faixas tenham cumprimento para cobrir todos os lados do recipiente e ainda sobrar o suficiente para cobrir as cabeças de alho (que serão colocadas depois).

Em seguida, fazer o mesmo com o papel manteiga, de forma a cobrir todo o papel alumínio.

2012-03-17_09-43-02_857

Distribuir no fundo do recipiente uma camada de cabeças de alho.

2012-03-17_09-47-25_879

Colocar o suporte sobre a primeira camada e fazer outra camada de alho.

2012-03-17_09-57-39_288

Suporte para a segunda camada de alho não emprensar a camada inferior.

2012-03-17_09-59-58_751

Segunda camada de alho.

Envolver o alho com as faixas de papel manteiga e alumínio.

2012-03-17_10-02-44_951

Colocar mais uma camada de papel alumínio por cima de tudo.

mail

Colocar dentro da panela elétrica.

2012-03-17_10-10-40_615

Vedar todas as saídas de vapor da panela com fita isolante.

2012-03-17_10-18-18_702

A partir disso, ligar a panela na tomada e deixar na função de aquecimento por 21 dias.

2012-03-17_10-19-29_741

No 21º dia, tirar a fita isolante e deixar por mais 5 horas.

2012-04-04_23-48-30_148

Pronto!!! Basta abrir a panela e deixar o alho esfriar.

Depois disso, é só usar.

Que tal um Linguine com tomatinhos e alho negro? Fácil e rápido!

Demorado é só o alho negro mesmo…

aDSC_0805b

DICAS E CONSIDERAÇÕES:

a) Quanto melhor o alho comum utilizado, melhor será o seu alho negro.
b) Conservar o alho negro, depois de pronto, em geladeira.
c) O suporte que eu tenho em casa é de metal. Acho que ele esquentou muito e deu uma ressecada nos alhos da camada de cima. Vou procurar um de madeira.
d) Não sei ao certo qual a temperatura interna da panela elétrica na função de aquecimento, mas li que a temperatura ideal é de 60ºC a 70ºC.
e) Outro teste que quero fazer é o de envolver cada uma das camadas em um pacote separado de papel manteiga e papel alumínio para ver se a umidade se conserva melhor.
f) O uso da fita isolante é essencial para que o alho não perca a umidade. Quando fiz sem a fita, o alho virou pedra.
g) Li algumas matérias interessantes no site do Alho Negro Luigi, incluindo uma que fala sobre os seus benefícios.
h) Para quem quiser fazer um alho profissional, há algumas apostilas anunciadas na internet que explicam o processo. Como não comprei nenhuma, não tenho indicação para fazer.
i) Comprei duas marcas de alho negro e achei que o da Marisa Ono é o mais saboroso e de textura mais cremosa.

Alho Negro: Uma Saborosa Opção no Combate ao Estresse Oxidativo

aDSC_0931

(no próximo post vai uma receita caseira para fazer esse delicioso alho)

Alho Negro: Uma Saborosa Opção no Combate ao Estresse Oxidativo.
* Texto elaborado pela Nutricionista Gabriela Andrello Paschoal do Departamento Científico da VP Consultoria Nutricional

O alho (Allium Sativum L.) é um condimento bastante presente no cotidiano das pessoas. A sua exploração não foi apenas como especiaria, pois tem sido também utilizado para outros fins, dependendo da cultura. Ao longo dos tempos, através de vários estudos, foi-se descobrindo que o bulbo desta planta possuía também propriedades benéficas para a saúde (1). Ele possui fortes poderes antioxidantes e foi sugerido que pode prevenir doença cardiovascular; inibir a agregação plaquetária e a formação de trombos; prevenir câncer, doenças associadas ao envelhecimento cerebral, artrites e formação de catarata; rejuvenescer a pele e melhorar a circulação e os níveis de energia (2).

Estão presentes no alho compostos organosulfurados, os quais desempenham atividades benéficas à saúde como a aliina (hipotensora, hipoglicemiante), ajoeno (antiagregante plaquetário), alicina (antibiótica, antifúngica, antiviral), alil-mercaptano (hipocolesterolêmica, hipotensora, antitumoral), dialil-dissulfido (hipocolesterolêmica, antitumoral) e compostos gama-glutâmicos (antioxidante, hipocolesterolêmica, antitumoral) (3).

Um estudo chinês mostrou que, in vitro, a alicina reduziu a viabilidade de células cancerígenas gástricas, de maneira, dose e tempo-dependente, o que sugere uma diminuição na proliferação dessas células, evitando a progressão da doença, podendo ser utilizada tanto na prevenção quanto no tratamento (4). Ainda com relação ao câncer, outro estudo observou que a alicina também pode auxiliar no tratamento e prevenção do câncer de cólon, pelo mesmo efeito observado quanto a neoplasias gástricas (5).

Li e colaboradores (6) demonstraram, in vivo, outro efeito bastante interessante, pois constataram que a suplementação preventiva de alicina previne perda de memória e dificuldade de aprendizagem de indivíduos portadores de Mal de Alzheimer, fato atribuído, possivelmente, ao aumento na atividade da superóxido dismutase (SOD), redução dos níveis de malondialdeído e diminuição de alguns genes envolvidos na progressão dessa doença.

Recentemente, descobriu-se que a alicina também possui atividade antiparasitária, principalmente contra Plasmodium falciparum e Trypanosoma brucei brucei, pois inibe enzimas produzidas por esses parasitas e que causam danos à saúde dos seres humanos (7).

Em estudo argentino, Vazquez-Prietro e colaboradores (8) observaram, in vivo, que o extrato aquoso de alho pode prevenir o estresse oxidativo e o remodelamento vascular em casos de síndrome metabólica. Outra importante consequência, observada por estudo chinês, quanto à diminuição do estresse oxidativo, foi uma proteção contra hipertrofia e fibrose cardíaca. (9).

Atualmente, na gastronomia, principalmente chinesa, o alho negro está ganhando espaço. Ele é produzido a partir do envelhecimento do alho fresco em alta temperatura (70°C) e alta umidade (90%UR). Durante o processo de envelhecimento, compostos instáveis do alho fresco, incluindo a aliina, são convertidos em compostos estáveis, como a s-alil cisteína, um composto hidrossolúvel com potente efeito antioxidante, fato este que sugere que o alho negro tenha um poder antioxidante maior do que o alho fresco (10).

Young-Min Lee e colaboradores (10) identificaram que o consumo de alho negro aumentou a atividade da SOD e da glutationa peroxidase (GPx) e quando comparado ao alho fresco, seu consumo reduziu significativamente mais os níveis séricos de TBARS.

Um estudo realizado na Coreia, o qual explorou o potencial do extrato clorofórmico de alho negro no estresse oxidativo, mostrou que além de atenuar a atividade de moléculas de adesão, diminuiu a produção de fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa) induzida por espécies reativas de oxigênio (EROs) e inibiu a ativação de fator de transcrição kappa B (NFkB), dados estes que fornecem novas evidências da atividade anti-inflamatória deste alimento (11). Outras interessantes propriedades do alho negro são os seus efeitos hipoglicemiante e hipocosleterolêmico, como demonstrado em um estudo coreano, o qual comprovou que consumir alho negro reduz significativamente a resistência insulínica, a glicemia e o colesterol total, além de aumentar os níveis de HDL colesterol (12).

Portanto, podemos concluir que o alho negro, assim como o alho fresco, possui atividades anti-inflamatórias, antioxidante, hipoglicemiante e hipocolesterolêmica. Porém, observa-se uma potencialização desses efeitos, mostrando que o processo de envelhecimento do alho não altera as suas propriedades.

Referência Bibliográfica:
1. MENDES, P. A. P. Estudo do teor de Alicina em Alho. São Paulo: IPB, 2008. 22p. Dissertação (mestrado) – Instituto Politécnico de Bragança, 2008.
2. KALLUF, L. J. H.; PASQUA, I. C.; A Fitoterapia Funcional na modulação anti-inflamatória imunomoduladora e antienvelhecimento. In: KALLUF, L. J. H. Fitoterapia Funcional: dos Princípios Ativos à Prescrição de Fitoterápicos. 1.ed. São Paulo: VP Editora, 2008.
3. GARCIA GOMEZ, L.; SANCHEZ-MUNIZ, J. Revisión: Efectos cardiovasculares del ajo (Allium sativum). Arch Latinoam de Nutr: 50 (3): 219-229, 2000.
4. ZHANG, W.; HA, M.; GONG, Y. et al. Allicin induces apoptosis in gastric cancer cells through activation of both extrinsic and intrinsic pathways. Oncol Rep; 24(6):1585-92, 2010.
5. LI, X. H.; LI, C. Y.; XIANG, Z. G. et al. Allicin can reduce neuronal death and ameliorate the spatial memory impairment in Alzheimer’s disease models. Neurosciences (Riyadh); 15(4):237-43, 2010.
6. BAT-CHEN, W.; GOLAN, T. ; PERI, I. et al. Allicin purified from fresh garlic cloves induces apoptosis in colon cancer cells via Nrf2. Nutr Cancer; 62(7):947-57., 2010.
7. WAAG, T.; GELHAUS, C.; RATHE, J. et al. Allicin and derivates are cysteine protease inhibitors with antiparasitic activity. Bioorg Med Chem Lett.; 15;20(18):5541-3., 2010.
8. VAZQUEZ-PRIETP, M. A.; GONZÁLEZ, R. E.; RENNA, N. F. et al. Aqueous garlic extracts prevent oxidative stress and vascular remodeling in an experimental model of metabolic syndrome. J Agric Food Chem; 58(11):6630-5, 2010.
9. LIU, C.; CAO, F.; TANG, Q. Z. et al. Allicin protects against cardiac hypertrophy and fibrosis via attenuating reactive oxygen species-dependent signaling pathways. J Nutr Biochem.; 21(12):1238-50, 2010.
10. LEE, Y. M.; GWEON, O. C.; SEO, Y. J., et al. Antioxidant effect of garlic and aged black garlic in animal model of type 2 diabetes mellitus. Nutr Res Pract; 3 (2): 156-161, 2009
11. LEE, E. N.; CHOI, Y. W.; KIM, H. K. et al. Chloroform extract of aged black garlic attenuates TNF-alpha-induced ROS generation, VCAM-1 expression, NF-kappaB activation and adhesiveness for monocytes in human umbilical vein endothelial cells. Phytother Res; 2010.
12. SEO, Y. J.; GWEON, O. C.; LEE, Y. M., et al. Effect of Garlic and Aged Black Garlic on Hyperglycemia and Dyslipidemia in Animal Model of Type 2 Diabetes Mellitus. J Food Sci Nutr; 14 (1): 1-7, 2009.

FONTE: http://www.vponline.com.br/_site/newsletter.php

Texto de Débora Fantini para a Folha de São Paulo

O valor do suco de laranja

10492513_658402340897381_408119195745095954_n

A ingestão de suco de laranja mostrou maiores benefícios que a limonada para evitar a formação de cálculos renais

Um copo de suco de laranja ingerido diariamente pode prevenir a recorrência de cálculos renais de maneira mais efetiva que o uso de limonada ou outros sucos de frutas cítricas, relatam pesquisadores da UT Southwestern Medical Center.

O achado indica que embora muitas pessoas achem que sucos de frutas cítricas ajudem a prevenir a formação de cálculos renais, nem todos têm o mesmo efeito. Este estudo foi publicado no Clinical Journal of the American Society of Nephrology.

O manejo da recorrência de cálculos renais exige mudanças na dieta e no estilo de vida assim como tratamento farmacológico como o uso de citrato de potássio, o qual reduz a formação de pedras em pacientes com história pregressa de pedras nos rins.

Mas alguns pacientes não podem tolerar os efeitos colaterais gastrointestinais do citrato de potássio. Nestes casos, está recomendado incluir na dieta alimentos fonte de citrato, como o suco de laranja, por ser considerado uma alternativa ao tratamento farmacológico.

Todos os sucos cítricos contêm citrato. Os pesquisadores compararam o suco de laranja e a limonada e acharam que os componentes que acompanham o citrato podem altrerar a efetividade do suco em diminuir o risco de desenvolver novos cálculos renais.
Treze voluntários – alguns com história de cálculos outros não – participaram do estudo de 3 fases, cada uma durou uma semana com intervalo de 3 semanas entre elas. Em cada fase os 13 voluntários tomaram cerca de 350 ml de suco de laranja, limonada ou água três vezes ao dia. Eles também mantiveram uma dieta pobre em cálcio e oxalato. Amostras de sangue e urina foram colhidas durante cada fase. Os níveis de citrato na urina foram maiores na fase de ingestão do suco de laranja, assim como foi reduzida a cristalização de ácido úrico e oxalato de cálcio nesta fase. A limonada não elevou o níveis de citrato, um importante inibidor de formação de cálculos.

Fonte: University of Texas Southwestern Medical Center
http://www.utsouthwestern.edu/home/news/index.html
NEWS.MED.BR, 2006. A ingestão de suco de laranja mostrou maiores benefícios que a limonada para evitar a formação de cálculos renais. Disponível em: http://www.news.med.br/p/medical-journal/1874/a-ingestao-de-suco-de-laranja-mostrou-maiores-beneficios-que-a-limonada-para-evitar-a-formacao-de-calculos-renais.htm. Acesso em: 15 jul. 2014.

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

Médico de Florianópolis receita plantas medicinais para curar doenças

16755579

Folhas de hortelã, alecrim, couve são distribuídas gratuitamente na unidade de saúde

Alecrim para curar depressão, manjericão para uma boa digestão, hortelã para desobstruir o nariz e matar os vermes, babosa para melhorar a pele e lavanda para relaxar. Estes são alguns dos “remédios” receitados para quem passa por uma consulta com o doutor Murilo Leandro Marcos, 30 anos, médico da família no Centro de Saúde da Lagoa da Conceição, em Florianópolis.

Já na recepção os pacientes têm a disposição um vaso cheio de ervas, folhas e frutas que tem o poder de curar e prevenir doenças. Grande parte é plantado e colhido no jardim da unidade, um trabalho conjunto realizado entre o médico, funcionários do posto e a comunidade local, que existe há cerca de três anos, mas voltou com força total em 2014. Na plantação é possível encontrar couve, beterraba, hortelã, alecrim e outras plantas e flores. As folhas que caem de uma árvore próxima são aproveitadas para manter a terra úmida.

O consultório do médico meio hippie — diz brincando — tem paredes lilás, plantinhas, mel, mandala na parede e um ouvido aberto para escutar as dores do corpo e da alma de cada paciente. A medicina praticada por doutor Murilo na unidade desde 2011 é centrada nas pessoas:

— Cada caso é avaliado individualmente, vejo todo o contexto, a família, o local onde vive. Com isso busco um equilibro entre a medicina tradicional e a moderna, e a cultura do bairro aceita muito bem. Os remédios tradicionais têm muitos efeitos colaterais, e as pessoas já viram que um chá pode ser muito potente — explica.

As práticas integrativas desenvolvidas na unidade são todas regularizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo do médico e da equipe é transformar o posto em exemplo para todo o Brasil:

— Os moradores podem fazer acupuntura e outras terapias alternativas, participar de grupos de gestantes, fumantes, e isso envolve toda a comunidade. Futuramente queremos construir uma tenda de integração no espaço que temos no jardim, e a associação de moradores já avisou que vai contribuir — conta.

Médico artista já foi premiado

Foi quando se mudou para a cidade Santa Rosa de Lima, no interior do Estado, que Murilo descobriu seu papel como médico da família. A experiência rendeu tanto, que o médico, que também é ligado a música e artes, fez um conto em literatura de cordel e ganhou o primeiro lugar no Concurso de Contos do 11º Congresso de Medicina de Família e Comunidade, realizado em Brasília no ano de 2011.

Nos versos o jovem doutor narra todos os desafios enfrentados para ao poucos conseguir introduzir um sistema mais humanizado na cidade com forte cultura alemã.

Veja o conto:

Da ilha da Magia no litoral, de um universo multicolorido e pluricultural
Pras terras de água clara e gelada
Logo que na serra chegou, o doutor encontrou muita barreira
Tinha médico conservador e prevenção era besteira
A população desconfiava, pouca gente acreditava
Que era o doutor, pessoa matreira
A palavra do doutor meio hippie era sempre duvidosa
Além das coisas natureba
Pra ferida tinha babosa
Pra dormir chá de pitanga
Se era sossego, usava lavanda
Pra desestressar caipira nervosa
Anunciavam que não era médico pois só receitava chá
Tinham outros que diziam ser nutricionista
Já que orientava um bom alimentar
Tinha ainda quem dizia:
“Esse médico é uma porcaria, pois para dor manda caminhar”
No começo pensava acochichado
Como é que faria pro trem acontecer
Praquele povo durinho e travado
Descobrir a beleza do povo se mexer
Iniciou então um grupo de caminhada
E a população que se dizia cansada
Se deliciava com o corpo amolecer
O doutor se aprochegava
Devagarinho com um papo diferente
Dizendo que remédio não era alimento
E caminhada era bom pra mente
Segui firme na intenção
De diminuir o tamanha da prescrição
Dos tarjas-preta que deixam demente
Havia na cidade um parque de água quentinha
Pouco usado depois de janeiro Já o busão da estudantada
Ficava parado o período de aula inteiro
Veio então a ideia do doutor
De buscar todinha a gente do interior
Pra na água sarar da dor e dos anseios
A hidroginástica fez sucesso e o povo não quer mais parar
Em cada aula são mais de 50
É muita gente a se exercitar
Além do esforço tem a recompensa, de se livrar de um montinho de doença
Que a água termal ajuda a tratar
A mudança vem surgindo com a promoção da saúde
Corpo e mente andam juntos, com autonomia e atitude
Mais vida pra se viver
Mais qualidade no envelhecer
Tendo a experiência como virtude
A cura não é só do corpo, é da mente e da emoção
A água que leva as mágoas
Lava o orgulho e limpa o coração
Assim surgiu o grupo de ioga
Deixando muita gente boba Por bem dormir, sem dia-ze pão
A população não acha mais que prevenção é só vacina
Muito menos se entupir de remédio
Ou fazer check-up mensal de rotina
É se dispor ao mutuo cuidado
Equilíbrio solidário lado a lado
Homem mulher, menino e menina
Não se pode esquecer
No trilhar dessa andança
Do empenho da gestora fundamental nessa mudança
A equipe bem unida, se posta em defesa em defesa
Consolidando o SUS com esperança  

Matéria retirada do site do Diário Catarinense. – http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2014/08/medico-de-florianopolis-receita-plantas-medicinais-para-curar-doencas-4565515.html

PRIA AROMA

loja virtual: http://www.pria.com.br

A vitamina D pode ajudar a parar a fibrose hepática

1395238_532669906803959_1864480931_n

A vitamina D pode ajudar a parar a fibrose hepática que na sua pior forma evolui para a cirrose.

Se você sofre de fibrose hepática, você poderá desejar tomar suplementos de vitamina D manter saudáveis os níveis séricos desta vitamina do sol, pois um novo estudo no journal Cells sugere que este hormônio (na verdade, não é uma verdadeira vitamina) pode ajudar a tratar a doença que de outro modo poderia potencialmente levar a uma doença hepática mais grave.

Pesquisadores no Salk Institute conduziram o estudo e descobriram que uma forma sintética da vitamina D, um medicamento chamado calcipotriol, que foi já aprovado pelo Food and Drug Administration para o tratamento da psoríase, pode parar a resposta fibrótica nas células do fígado de ratos, o que sugere que a vitamina D poderia ser usada para o tratamento de fibrose hepática em humanos.

A fibrose hepática no Ocidente é causada principalmente por infecções crônicas do vírus da hepatite, como a hepatite B e C, o consumo de álcool, e a esteato-hepatite não alcoólica.

“Porque atualmente não há medicamentos eficazes para a fibrose hepática, acreditamos que nossos resultados abririam uma nova porta para o tratamento”, disse o autor principal Dr. Ronald M. Evans no laboratório de expressão de gênica de Salk e no centro de Helmsley de medicina genômica do instituto.

Os estudos iniciais indicam que a vitamina D desempenhe um papel na fisiologia do fígado. Os autores do estudo encontraram elevados níveis de receptores de vitamina D nas células estreladas hepáticas que podem ser facilmente feridas, causando a expansão da fibrose hepática. O elevado número de receptores de vitamina D sugere que ela tenha um grande impacto sobre a saúde do fígado.

Os pesquisadores disseram que os ensaios clínicos estão sendo planejados para testar o analógico de vitamina D, o que os pesquisadores acreditam seja melhor que a vitamina D natural , em sua eficácia no tratamento da fibrose hepática.

Pesquisas muitas vezes são realizadas apenas com análogos da vitamina D, e não com a vitamina D natural por alguns motivos, primeiro, vitamina D natural é fácil de decompor-se perdendo sua potência, em segundo, o consumo elevado de vitamina D natural pode conduzir a hipercalcemia, ou o cálcio elevado no sangue, micção frequente, fraqueza muscular
e dor nas articulações, entre outras coisas, e, terceiro, a vitamina D sintética é patenteável.

A vitamina D tem sido conhecida por desempenhar um papel em mais de 100 condições de saúde e de doenças, incluindo diabetes tipo 2, câncer, depressão e doenças do coração. Independentemente da eficácia da vitamina D no tratamento da fibrose hepática, os leitores do Food Consumer devem fazer o que for preciso para se certificarem de que possuem níveis séricos suficientes de vitamina D para outros problemas de saúde se não para doenças hepáticas.

http://vitaminadbrasil.org/2013/04/27/a-vitamina-d-pode-ajudar-a-parar-a-fibrose-hepatica/
http://www.cell.com/retrieve/pii/S0092867413003504

PRIA                                                                                                                                http://www.pria.com.br